(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Presidente da Seleta presta depoimento e nega irregularidades em convênios

Advogado de Gilbraz Marques disse que não foi intimado, e sim 'convidado' a depor

13 DEZ 2016
Thiago de Souza e Amanda Amaral
17h12min
Advogado diz que não há irregularidades em convênios Foto: André de Abreu

O presidente da Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária), Gilbraz Marques, negou haver irregularidades em convênios firmados entre a entidade e a Prefeitura Municipal de Campo Grande, durante depoimento ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), na tarde desta terça-feira (8). 

Conforme o advogado de Marques, José Amilton de Souza, seu cliente não foi conduzido coercitivamente e sim 'convidado' pelo Gaeco a depor. O defensor disse que os promotores estão com todos os convênios, e por isso há uma demora na análise dos documentos. Souza admitiu a possibilidade de que alguns funcionários estariam sendo desviados de suas funções, mas não deu detalhes. Ele só explicou que a fiscalização sobre o trabalhador não é de responsabilidade da diretoria da organização, e sim das chefias dos centros de educação infantil. 

Demissões 

O advogado José Amilton de Souza lembrou que, durante o depoimento de hoje, foi falado sobre o TAC (Termo de Ajuste de Conduta) firmado entre a Seleta e a Prefeitura, que prevê demissão de cerca de 1.600 funcionários até o final do ano. Souza destacou que a maioria das dispensas não foi feita para não prejudicar o atendimento às crianças.

Ele não soube dizer quem foi ou será preso no âmbito da operação Urutau, somente que por volta das 16h40 havia quatro pessoas nas dependências do Gaeco, entre elas, a presidente da Omep (Organização Mundial pela Educação Pré-Escolar), Maria Aparecida Salmaze.

No final da tarde desta terça-feira (13), a advogada de Kelly Barbosa, Carolina Pimentel, confirmou que a sua cliente foi conduzida coercitivamente para depor no Gaeco. A defensora disse não saber se a funcionária é da Omep ou da Seleta. Por volta das 16h40, mais duas viaturas do Gaeco chegaram ao prédio trazendo dois malotes. 

(Mais dois malotes chegaram ao Gaeco na tarde desta terça-feira - Foto: André de Abreu) 

Urutau 

A Operação do Gaeco investiga fraudes em convênios mantidos entre as organizações Omep e Seleta (Sociedade Caritativa e Humanitária) junto com a Prefeitura Municipal. Para o dia de hoje estão sendo cumpridos 14 mandados de busca e apreensão, sete conduções coercitivas e três mandados de prisão preventiva. Além das fraudes nos convênios, o Gaeco investiga crimes como falsidade ideológica, peculato, lavagem de capitais e associação criminosa. A vereadora Magali Picarelli (PSDB) foi uma das interrogadas pelo grupo de atuação, mas não deu detalhes sobre o que foi questionado. O gabinete dela na Câmara Municipal também foi alvo de busca. 

Veja também