(67) 99826-0686
Festival inverno 18/07 a 19/07

Quadrilha liderada por estudante de arquitetura, que fez família refém, é desarticulada

Conforme delegado, mentor apresentou extrema frieza, estando preocupado apenas com a apresentação do TCC

17 JUN 2019
Nathalia Pelzl
16h25min
Foto: Nathalia Pelzl

Foram apresentados na tarde desta segunda-feira (17), Deivyd Ponce Sangare e Leonardo Pereira Fonseca, de 30 e 22 anos, membros da quadrilha que invadiu uma residência e fez cinco pessoas reféns, durante um roubo, no último dia 12 no bairro Jardim Centenário.

A dupla foi presa na última sexta-feira (14), dois dias após o crime. A quadrilha buscava por um cofre com uma quantia de R$200 mil, como não encontraram eles levaram do local, quatro malas com roupas de marca e bebidas, duas caixas térmicas, duas caixas de som, tênis e um revólver calibre 32, com diversas munições, que foram levados para uma residência alugada pelo grupo.

O grupo também teria levado joias da família,  que não foram encontradas, e contabilizam um valor de aproximadamente R$100 mil.

(Foto: Nathalia Pelzl)

Os itens foram recuperados pela Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos). O delegado titular Reginaldo Salomão, disse que o mentor do grupo seria Deivyd, já que ele apresentou extrema frieza e teria rádios comunicadores.  Além disto, Salomão pontuou a violência utilizada pelo grupo, já que o empresário, de 36 anos, principal vítima, foi amarrado com cadarço e chutado por diversas vezes na região da costela.

“Deivyd é o cérebro, ele seguiu a vítima, tinha informações do bairro, um dos autores é vizinho da vítima, no dia do roubo em si, ele ficou monitorando a vítima de moto, avisou seus comparsas, através de um rádio comunicador. Eles ameaçaram e agrediram a vítima em busca de um cofre com R$200 mil, que não existia. Ele se mostrou extemamente frio, tendo como a única preoupação a apresentação do TCC”.

Sobre os outros envolvidos, o delegado reforça que já foi solicitado mandado de prisão e buscas estão sendo feitas.

“Nós desconfiamos que existam mais 4, outros dois já identificados, sendo que um deles já foi solicitado mandado de prisão, o outro já representamos por prisão preventiva, já que ele foi reconhecido pelas vítimas  e delatado”

(Foto: Nathalia Pelzl)

Outros crimes

Utilizando de violência, a quadrilha fez outras vítimas há cerca de um mês e meio,  no bairro Vilas Boas. Na ocasião, o grupo agrediu uma criança de 7 anos e fez ameaças em busca de dinheiros e bens materiais.

“Segundo o boletim de ocorrência, eles teriam agredido a todo tempo e dado tapas, além de ameaças a uma criança de sete anos, caso o pai não entregasse os bens ou dinheiro”.

Após a prisão de Deivyd e Leonardo, os outros quatro envolvidos teriam cometidos furtos de veículos na última semana.

“Esse crime já foi menos elaborado, em tese teriam levado só o veículo, pelos modos operantes, seria o mesmo grupo. Já sobre ser menos elaborado reforça nossa teoria de que o Deivyd seria o mentor de tudo”, destaca.


(Foto: Nathalia Pelzl)

Criminosos

 Em sua defesa, Deivyd, que é estudante de arquitetura na Uniderp, destacou que a tese de que ele seria o mentor da quadrilha é mentira, sendo que ele não teria nenhum tipo de rádio de comunicação.

“Minha participação foi que eu guardei a arma que o rapaz pediu pra eu guardar no dia após o crime, eu não tive participação nenhuma nesse ponto, estou esperando as digitais, mas tenho certeza que não vai pegar nenhuma minha porque eu não entrei na casa”.

Questionado sobre ser amigo dos envolvidos, ele negou, dizendo ainda que se tratava de ‘colegas’ e que por isso não questionou a procedência do item.

Veja também