Menu
terça, 15 de junho de 2021
Polícia

Suspeito de matar o tio queimado fica em silêncio, mas versão de peões sustenta prisão dele

Veterinário e a vítima tinham histórico de rixa familiar

14 dezembro 2017 - 19h48Por Thiago de Souza e Bruna Vasconcelos

Willias Alves de Arruda de Moraes,31 anos, apontado como assassino do tio, o advogado Severino Alves de Moura, ficou em silêncio durante depoimento à polícia na tarde desta quinta-feira (14), em Anastácio. No entanto, depoimento de testemunhas foram essenciais para que a prisão preventiva dele seja pedida à Justiça.

Conforme o delegado de Anastácio, Antônio Souza Ribas Júnior, Moraes foi preso em flagrante e deve permanecer assim. O suspeito já foi transferido para a 1ª DP em Aquidauana.

A polícia diz que havia uma rixa entre o advogado e duas de suas três irmãs. Willias era o filho da irmã mais velha de Severino, e durante as discussões, tomava as dores da mãe e a defendia perante o tio.

(Delegado diz que suspeito preferiu o silêncio, mas vai ficar preso - Foto: Luiz Maique)

Briga

No dia do crime, a briga entre tio e sobrinho teria ocorrido por conta da construção de uma cerca, na propriedade rural do advogado. O suspeito queria fazer uma cerca para ser usada como passagem e para isso chamou dois peões. No entanto, o tio era contra e teria dado ordens para interromper o serviço.

''Essa cerca só vai ser construída quando eu estiver morto'', teria avisado a vítima.

Conforme as testemunhas, Willias e Severino discutiram por conta da cerca, no lote dividido em três partes. Na visão de alguns familiares que estiveram na delegacia, o veterinário  era considerado 'esquentadinho'.  

Tio e sobrinho teriam trocado agressões físicas e a vítima foi dominada e asfixiada. Em seguida, o veterinário colocou o tio desfalecido dentro da caminhonete Hilux, e teria dito aos peões que o encontrassem cerca de dez quilômetros à frente.

Na versão dos funcionários, o suspeito retornou aparentando nervosismo, o que gerou desconfianças por parte deles.

Para a polícia, Willias incendiou o tio dentro da caminhonete, em uma propriedade rural. Na sequência ele teria voltado para a fazenda e depois para Aquidauana.

Prisão

O corpo do ex-presidente da OAB de Aquidauana  foi encontrado por volta das 22h15 dessa quarta-feira (13). Na manhã seguinte, a polícia reuniu os peões para coletar o depoimento, e na sequência fizeram buscas até encontrar Willias.

O suspeito estaria com um galão de gasolina na carroceria de uma caminhonete Hilux, de cor branca, no momento em que a viatura policial se aproximou, no Bairro Alto, em Aquidauana. Nervoso, teria corrido para dentro de da loja da irmã da vítima, tentando dispersar os policiais, mas foi encontrado e preso.

Corpo

O cadáver de Severino, que era bastante conhecido na cidade, foi levado para Campo Grande e deve retornar para Aquidauana ainda nesta quinta-feira (14). O advogado deixa um casal de filhos. Moradores acompanham o caso, que chocou a cidade. Ainda não há informações sobre o velório.