TJMS JANEIRO
Menu
quinta, 20 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Polícia

Testemunha de defesa, Puccinelli é dispensado e não vai prestar depoimento

27 novembro 2015 - 11h24Por Diana Christie e Alessandra Carvalho

Na lista de testemunhas de defesa do prefeito Gilmar Antunes Olarte (PP por liminar), o ex-governador André Puccinelli (PMDB) foi dispensado da audiência no TJ-MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) e não precisará prestar depoimento.

Na saída, o peemedebista declarou desconhecer os motivos da convocação, mas ressaltou que não acredita na teoria apresentada pelo MPE (Ministério Público Estadual) que existiu compra de votos de vereadores para a cassação do prefeito Alcides Bernal (PP).

Segundo as investigações, Olarte e o ex-assessor da prefeitura, Ronan Feitosa Lima, atuavam “fazendo ofertas de ajuda política, empregos futuros e outras participações no executivo municipal” para obter “cheques bancários, que passaram a descontar com agiotas ou em factorings [compra de ativos financeiros], deixando sem fundos as respectivas contas bancárias, causando prejuízos aos seus titulares”.

Deveriam ser ouvidas hoje 18 testemunhas, tanto de defesa quanto acusação. O empresário Paulo Sérgio Telles foi o primeiro a depor. Segundo ele, entre 12 e 20 talões de cheques foram captados, causando prejuízos de, pelo menos, R$ 1 milhão. Leia mais aqui.

Já a secretária Marly Deborah Pereira revelou detalhes do esquema para cooptação de cheques em branco. Segundo ela, o empréstimo de cheques em branco para os acusados lhe causou um prejuízo de R$ 30 mil. Desempregada, sem dinheiro e endividada, ela afirma que recorreu até a Bernal para conseguir um trabalho.