Menu
Busca segunda, 27 de janeiro de 2020
Polícia

Velho do Chapéu atirou 17 vezes contra policiais antes de ser morto

Ele estava escondido em uma fazenda no distrito de Taboco

18 novembro 2019 - 10h35Por Dany Nascimento

O comandante do Batalhão de Choque da Polícia Militar, Coronel Marcos Vinicius Pollet, afirmou que Antônio Júlio da Silva, 54 anos, conhecido como ''Velho do PCC'' ou ''Andorinha'', efetuou 17 disparos de pistola 9 mm contra os policiais. Ele acabou morto em uma fazenda na região do distrito de Taboco, em Corguinho.

“Ele estava com dois carregadores, um de 30 e outro de 15 munições. No de 30 munições, os policiais encontraram apenas 13, isso significa que ele atirou 17 vezes contra os policiais. Ele começou a atirar antes mesmo dos policiais chegarem até o local, enquanto eles estavam dentro da viatura ainda”, disse o comandante.

Segundo o comandante, Velho do PCC era foragido do Presídio de Segurança Máxima desde setembro deste ano. “Recebemos a informação de que ele estava escondido nessa fazenda. Chegando lá, eles avistaram a viatura de longe e já começaram a atirar. Ele corria, virava os braços para trás e atirava contra a guarnição. Ele foi perseguido e os policiais revidaram essa agressão injusta, acertando o Andorinha”.

Ele foi socorrido, encaminhado para o hospital de Rochedo, mas não resistiu aos ferimentos. Conforme o comandante, Velho do PCC estava acompanhado de outro homem, que conseguiu fugir pelo matagal. “Os policiais realizaram um cerco, mas esse individuo não foi capturado”.

Antônio era apontado com líder dos assaltos praticados pela “quadrilha do chapéu”. Além dele, os comparsas Valdecir Valchak, 31 anos, e Dilermando César Pereira de Almeida, 24 anos, também foram mortos em troca de tiros com a polícia, no último dia 10.