(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

‘Versão fantasiosa’, diz pai de adolescente sobre acusação de tiros em casa de lutador

Homem afirma que filho é vítima constante de bullying por aluno campeão de karatê em escola particular da Capital

17 ABR 2019
Amanda Amaral
16h50min
Foto: Ilustração/Wesley Ortiz/Arquivo TopMídiaNews

Briga de dois adolescentes em uma escola particular de Campo Grande virou caso de polícia que envolve a residência de um deles atingida por disparos de arma de fogo. A primeira versão registrada pelo proprietário da casa, lutador de karatê e pai de um dos estudantes de 14 anos, acusa o pai do outro garoto de ser o autor dos tiros, mas ele nega.

O homem de 37 anos prefere não ter seu nome citado na reportagem, mas refuta as acusações relatadas em boletim de ocorrência pelo outro adulto envolvido, de 47 anos. Na tarde desta quarta-feira (17), ele levou o filho para realização de exames de corpo de delito após ser ferido em briga com o adolescente, que também é lutador faixa preta, como o pai.

“É uma coisa fantasiosa isso que ele disse, jamais ameacei e estou tomando as medidas cabíveis contra essa mentira, eu nem tenho moto ou arma de fogo. Desde o início do ano meu filho sofre bullying desse menino e levou três pontos na cabeça depois dessa briga e eu avisei que ia tomar medidas judiciais, não um atentado”, se defende.

A briga teria acontecido na sexta-feira (12), no horário de saída da escola no bairro Chácara Cachoeira. O desentendimento teria começado após o garoto ter levado um tapa na cabeça do jovem lutador, mas os problemas entre os dois seriam antigos.

“Estou à disposição da polícia pra mostrar qualquer prova que eles queiram, imagens, exames, tudo. Tem mensagens desse menino no celular do meu filho ameaçando ele a fazer as tarefas pro outro. Acho que o pai dele ficou com medo que eu mostrasse essa situação pra federação de karatê e criou isso tudo”, afirma.

Ele afirma ainda que também registrou sua versão dos fatos na Dpca (Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente) e que já prestou, espontaneamente, esclarecimentos na Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento à Infância e Juventude). Os dois adolescentes foram suspensos das aulas por três dias.

Outra versão

O pai do aluno praticante de karatê acionou a Polícia Militar na noite de terça-feira (16), após ter a casa atingida por diversos disparos de arma de fogo, na Rua Jandaira, no bairro Parque Novos Estados. Conforme o registro policial, a vítima afirma que foi chamada na escola pela coordenadora, após o garoto se envolver em uma briga com outro aluno.

A coordenadora teria contado o pai do outro estudante foi gravado em vídeo fazendo ameaças. “A hora que eu pegar o pai desse menino, eu vou arrebentar ele, eu estou armado”, teria dito o homem no vídeo.

Em sua versão ele alega que voltou para a residência com o filho e recebeu mensagens do outro pai, dizendo para o mesmo buscar ajuda judicial. “Eu vou tomar todas as providências legais cabíveis para poder ressarcir a honra do meu filho, pode contratar seus advogados”.

Além disso, por volta das 23h30, a vítima afirma que ouviu diversos disparos de arma de fogo na frente de sua residência. Ao sair para fora, encontrou marcas de tiros nas paredes e um vizinho contou que os tiros foram efetuados por um motociclista. Foram recolhidos sete estojos de calibre .380 no local.

Veja também