TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
terça, 24 de maio de 2022 Campo Grande/MS
CÂMARA MUNICIPAL MAIO 2/3 ANO
Política

41 anos depois da divisão: MS comemora, Mato Grosso não

Há pouco mais de quatro décadas, MT deixava de ser um só

11 outubro 2018 - 09h30Por Celso Bejarano

Exatos 41 anos atrás, por sanção presidencial do general do Exército Ernesto Geisel, então chefe do regime da ditadura militar, Mato Grosso deixava de ser só um Estado e surgia Mato Grosso do Sul.

Desde aquela data, 11 de agosto de 1977, o motivo da separação dos dois territórios ainda motiva interrogação e, pelo dito até hoje, está longe de se alcançar um consenso acerca da questão. Versão mais perto do porquê da divisão tem a ver com a economia.

O certo é que Mato Grosso e Mato Grosso do Sul, em velocidades parecidas, crescem e se destacam ano a ano no campo econômico do país.

As divergências acerca da separação dos dois estados começam pela comemoração pela data. Aqui em Mato Grosso do Sul há quatro décadas 11 de outubro sempre é bem vindo para a população, afinal, neste período, prolonga-se a folga já que dia 12 é feriado nacional pela homenagem a Nossa Senhora Aparecida, a santa tida como a padroeira do Brasil. 

Lá em Mato Grosso, não, sem festividade de nada, sem feriado.

Para Marisa Bittar, graduada em História pela então Fucmat, hoje UCDB, Universidade Católica Dom Bosco, com sede em Campo Grande (MS), doutora em História Social pela USP (Universidade de São Paulo), foram três as razões que impulsionaram a divisão de MT.

1) Estimular o desenvolvimento regional e a ocupação territorial;
2) Fortalecer as fronteiras locais com a Bolívia e o Paraguai;
3) Manter uma melhor relação política com o partido da ditadura, então conhecido como Arena, ampliando a sua base de apoio por meio da criação de mais uma seção eleitoral.

Já para as correntes que refutavam a ideia da separação do estado, a divisão foi feita à revelia, sem que a população fosse ouvida e que a iniciativa do presidente da época teria sido insuflada por motivos políticos, apenas.

Tirada as divergências históricas, o certo é que 41 anos depois os dois Mato Grosso destacam-se por suas forças econômicas, principalmente quando o assunto tratado for o agronegócio.

Dados deste ano do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revela que Mato Grosso do Sul (79 municípios) tem hoje 2,8 milhões de habitantes e sua capital, Campo Grande, a população é de pouco mais de 800 mil habitantes.

Já a população de Mato Grosso (141 cidades) 3,4 milhões e a capital, Cuiabá, 607 mil.

TopMidiaNews consultou as finanças dos dois estados por meio seus portais da Transparência.

Ano passado, o governo de MS arrecadou com tributos 12.349.232.663,24; já MT, em 2017, arrecadou  R$ 25.536.815.722,69.

No processo de separação, em 1977, MS ficou com 28% do território de Mato Grosso.

RIVALIDADE

Até a década de 1980 moradores de MT e MS nutriam entre eles uma certa rivalidade pela separação dos estados. A rixa maior, já esquecida pelo tempo, era mantida principalmente no futebol. Houve casos de violência envolvendo torcedores do Mixto (MT) e do Operário (MS).

No dia da divisão (11-10-1977), por exemplo, carros com placa de Campo Grande (MS), foram depredados em Cuiabá, a capital mato-grossense; e veículos com placa de Cuiabá também foram estragados em Campo Grande.