(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

André considera aliança PT-PSDB contraditória

Eleição 2014

21 OUT 2013
Juliene Katayama
15h40min
Foto: Geovanni Gomes

Para o governador André Puccinelli (PMDB), a aliança PT e PSDB é contraditória. O peemedebista considerou o passado histórico de integrantes dos dois partidos. "Eu vejo com contradições", afirmou o governador.

André enfatizou alguns pontos do passado considerados contraditórios por ele. "Vamos rememorar o que Zeca falava dos Tucanos, o que o Delcídio falava dos Tucanos, o que o Reinaldo falava do Zeca, o Reinaldo falava do Delcídio, o que os três juntos falavam do Bernal, ambos Zeca e Reinaldo protetores do Bernal", relembrou.

O PSDB foi um dos partidos que apoiou o PMDB - rival político do PT em Mato Grosso do Sul - por décadas. Mas desde a eleição municipal do ano passado, os tucanos decidiram largar a parceria para disputar a Prefeitura de Campo Grande. A partir dai, PSDB e PT se aproximaram. O principal obstáculo da aliança dos dois partidos é a nacional. Segundo a determinação da nacional das siglas, é proibida a união entre elas, mesmo em esfera estadual ou municipal.

Segundo o governador, a união entre PT e PSDB aconteceu em decorrência do momento político nas últimas eleições para apoiar o prefeito da Capital. Mas, neste momento, houve um distanciamento daqueles que ajudaram Bernal a chegar no poder. Este movimento é considerado uma traição pelo governador, o que não é perdoado pela população. "Agora o Bernal está prejudicado, todo mundo está se afastando dele. Existe uma palavra em política que a população não perdoa: traição e oportunismo", afirmou.

André lembrou do ensinamento de Nelson Trad, já falecido, para explicar a movimentação de adversários políticos. "O velho Trad dizia quando era vivo que a população adora uma traição, mas não perdoa o traidor. E oportunismo, a população sabe cada vez mais discernir as coisas", disse o governador.

Veja também