ALMS junho neocom
Menu
sexta, 18 de junho de 2021
CONFLITO  18 A 20/06/21
Política

Ensinando a pedir votos, conselheira chama eleitores da periferia de ‘c* sujo' e 'pé de toddy’

Áudio viralizou em Bandeirantes; conselheira tutelar nega ofensas e diz que foi vítima de montagem

29 outubro 2020 - 15h00Por Rayani Santa Cruz

Em Bandeirantes, um áudio com xingamentos a moradores da periferia viralizou nas últimas horas. Nele, uma mulher ensina um candidato a vereador a pedir voto em bairros pobres e chama moradores de pé de tody, pobrão e profere palavras de baixo calão.

A denúncia foi enviada ao Repórter Top por um eleitor do município, que não quis se identificar. Ele diz que a voz é da conselheira tutelar Maiza Mendes, que está trabalhando em campanha eleitoral do marido, que é candidato a vereador.

“De vice e de prefeito, nós estamos bem. Agora vereador vamos sair na luta mesmo. E outra coisa você puxa voto sim! Sabe onde que você tem que ir? Vou te ensinar, não vai achar ruim tá. Você tem que ir nas periferias que é eles, que apoia nós. Os pobrão, os cu sujo... e nós vamos atrás deles, tá. Os pé de tody, vamos atrás que o voto é nosso! (sic)”, diz o áudio.

O vazamento do áudio causou revolta em moradores mais pobres da cidade. 

O outro lado

A conselheira Maiza Mendes, indicada como autora do áudio, foi procurada pela reportagem e se justificou dizendo que a mídia em circulação é uma montagem feita em cima de frases ditas em outras ocasiões. 

Ela afirma que faz parte de um grupo privado do partido no whatsapp e estava em discussão calorosa na defesa de um membro.

“Foi vazado anteontem, com uma montagem em cima. Eles podem ter tirado essa frase de outras situações e de outras conversas e não tem nada a ver com o povo daqui e com a situação eleitoral daqui. Meu esposo é candidato a vereador. Estão tentando denegrir a minha imagem e a imagem do meu partido. O que eu mais quero é mostrar  ao público que eu estou ao lado deles, e [eles] estão novamente sendo manipulados pelos poderosos da política” disse. 

A conselheira disse ainda que o caso será investigado pelo promotor eleitoral da cidade para verificar quem foi o autor do vazamento e da montagem. 

 “Já está na mão do promotor e está investigando de onde partiu. Arrumaram uma fala em cima da minha e está sendo apurado. Na verdade, a conversa tem um contexto geral. Só tiraram um trecho. Assim como todo mundo está sendo vitimizado, eu também sou vítima”, justifica.

Maiza finalizou dizendo que está recebendo orientações do partido e advogados. E que o caso será apurado na Justiça.