TCE MAIO
(67) 99826-0686

Marquinhos diz que terrenos foram transferidos há mais de 20 anos; aliados criticam denúncia

O assunto foi repercutido na Câmara Municipal e causou mal-estar entre parlamentares

27 OUT 2016
Rodson Willyams e Diana Christie
16h10min
Foto: Assessoria

Parlamentares que apoiam o candidato à prefeitura de Campo Grande, Marquinhos Trad, do PSD, reagiram à denúncia de suposta falsidade ideológica na declaração de bens do deputado estadual à Justiça Eleitoral. Nesta quarta-feira (26), os vereadores eleitos André Salineiro, João Mattogrosso  e Lívio Viana, todos do PSDB, protocolaram a representação no Ministério Público Federal, Receita Federal e no Tribunal Regional Eleitoral.

De acordo com Otávio Trad, do PTB, sobrinho de Marquinhos, a denúncia feita por vereadores tucanos, em pleno período eleitoral, acaba prejudicando o debate. "Durante todo esse período de campanha, não foi falado de nenhum candidato ou de outro. E daí, vem uma denúncia política como essa que acaba prejudicando o debate".  

Otávio considerou o fato como uma tempestade feita dentro de um copo d'água. "Para ser considerada a omissão de bens, tem que ser considerado o dolo específico, coisa que não é essa situação", comentou.

Por meio da assessoria de imprensa, Marquinhos Trad, alegou que: "novamente, agora a poucos dias da eleição, a campanha de Rose Modesto investe contra minha honra, acusando-me de não ter declarado no registro de minha candidatura bens que supostamente seriam de minha propriedade".

E continua: "Mentira! Calúnia! Jogo rasteiro! Os dois terrenos não me pertencem há décadas. Há mais de vinte anos, transferi a titularidade destes dois terrenos. Não haveria razão para não declará-los se fossem meus".

Marquinhos ainda garante que "da mesma forma que a Justiça Eleitoral já concedeu inúmeros direitos de resposta ao reconhecer as mentiras e calúnias da minha adversária, assim procederei em relação a esta rasteira acusação que o baixo nível da campanha de Rose Modesto promove em Campo Grande".

Aliados

Outro parlamentar a comentar o caso foi Ademar Vieira Junior, o Coringa, do PSD, que afirmou que Marquinhos já estaria preparado para esse tipo de situação. "Ele está preparado porque, com o fim de campanha, começa esse início da onda de denuncismo. Agora é o momento do vale tudo. Quando um candidato aparece em primeiro lugar é natural que a outra parte faça denúncias desse tipo".

Coringa ainda amenizou o problema. "O partido está desesperado e acredito que, para eles, agora vale tudo. Mas o Marquinhos está muito tranquilo e preparado para essa onda de ataques na reta final".

O presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, vereador João Rocha, do PSDB, defendeu que todos têm o direito de pensar, como qualquer cidadão, diante de possíveis ilegalidades. "E se tiver documentos que comprovem, há canais pertinentes para fazer essas denúncias".

Sobre o mal-estar causado na Câmara Municipal, o presidente preferiu afirmar que: "cada um tem a sua opinião e corre dentro do espírito de independência de vereador. Mas cabe  Mesa Diretora tomar os cuidados necessários para que não seja extrapolado a Lei Orgânica e o Regime Interno da Casa".

O caso

A representação afirma que, na declaração de bens apresentada pelo deputado estadual Marquinhos Trad, não constam cinco imóveis que ele possui sociedade. Segundo a denúncia, a escritura de compra desses imóveis possui o nome de Marquinhos, junto com seu irmão Nelson Trad Filho e seu primo, Willian Maksoud Filho. Inclusive esses imóveis foram bloqueados pela Justiça pelo suposto envolvimento de Nelsinho Trad na Operação Lama Asfáltica, em força-tarefa do MPE.  

O presidente do diretório municipal do PSDB, vereador Lívio Viana, explicou que eles receberam a denúncia e, quando foram averiguar, encontraram os imóveis em nome do candidato do PSD. “Como homens públicos, têm que ter a vida transparente. Os imóveis estão espalhados em toda Campo Grande. É nosso dever denunciar”, declarou.

O vereador eleito João Mattogrosso destacou que o fato de Marquinhos supostamente esconder informações em sua declaração de bens reflete o seu possível modo de governar. “Se Marquinhos está mentindo enquanto candidato, imagina o que fará quando for prefeito?”, finalizou. Veja matéria completa aqui.

Veja também