tce janeiro
Menu
quinta, 27 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Aumento de impostos em MS nas mãos dos deputados estaduais

03 novembro 2015 - 08h54Por Dany Nascimento

A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul tem na pauta da sessão ordinária desta terça-feira (3) o projeto de lei que prevê o aumento de imposto para bebidas alcoólicas, cigarro, derivados do fumo, refrigerantes, perfumes, cosméticos e o ITCD (Imposto sobre a Transmissão Causa Mortis e Doação).

O objetivo do governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), é ampliar a receita em R$ 296 milhões com o ICMS. Até o mês de julho, o Estado arrecadou R$ 4,3 bilhões com o ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços), o que corresponde a R$ 600 milhões mensais.

A atitude do Governo de MS vem gerando revolta entre os empresários, que acreditam no enfraquecimento das empresas do Estado. Diversas entidades, como a Associação Comercial e Industrial de Campo Grande (ACICG), que destaca que de janeiro a julho, já houve um aumento no ICMS, que ficou 5,13% superior ao ano passado.

 “Mato Grosso do Sul já possui uma das maiores cargas tributarias do país, a população não aguenta mais pagar a conta.O mais indicado seria fomentar o comércio para que desenvolva a economia e consequentemente a arrecadação. Não estamos contra o governo, somos parceiros em diversos projetos e queremos colaborar”, afirma o presidente da ACICG, João Carlos Polidoro.

Assim como João, o primeiro-secretário da ACICG, Roberto Oshiro afirma que "o governo deveria reduzir seus gastos e despesas, assim como faz os empresários e as donas de casa de todo país em momento de dificuldade".

Agora a decisão está nas mãos dos deputados estaduais, que estão sendo pressionados pelo governador para aprovarem o projeto e por outro lado analisam a dificuldade da população, que já enfrenta grandes dificuldades em meio a crise financeira com o risco de ter a vida financeira afetada com o aumento de mais impostos.