ALMS CONTAR 25/06 A 27/06
(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

Azambuja espera que deputados cheguem a consenso sobre presidência da Assembleia

Governador afirmou que cabe aos deputados definirem mesa diretora

23 NOV 2016
Airton Raes
07h00min
Foto: Arquivo Top Mídia News

O governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB), afirmou que espera que os deputados cheguem a um consenso sobre o próximo presidente da Assembleia Legislativa. “Acredito na maturidade dos deputados e que eles vão achar  um caminho consensual para escolher o que é melhor para casa, como eles tem feito até agora”, afirmou Azambuja.

O presidente da Casa de Leis, Junior Mochi (PMDB), colocou o nome para disputar a reeleição. Entretanto, a bancada do PSDB, que hoje ocupa a vice-presidência, quer ocupar a presidência por ser a maior bancada. O deputado Maurício Picarelli (PSDB) tem o desejo de disputar o cargo.

Para Reinaldo Azambuja, a definição da Mesa Diretora é de atribuição dos 24 deputados estaduais que compõe o parlamento. ”A presidência da Assembleia é uma decisão que passa pela Casa. Quem vota são os deputados”, afirmou.

Reinaldo Azambuja disse que é natural o PSDB, por possuir a maior bancada, pleitear um cargo maior na mesa, mas espera que os deputados cheguem a um consenso quanto a composição da mesa diretora. “É legitimo a maior bancada pleitear a presidência ou primeira secretaria da Assembleia. Mas acredito que os deputados vão achar o melhor caminho. Acredito na maturidade dos deputados e que eles vão achar  um caminho consensual para escolher o que é melhor para casa, como eles tem feito até agora”, ressaltou.

O governador também lembrou que atualmente vinte deputados fazem parte da base de apoio do governo do Estado. Azambuja afirmou que por isso é preciso respeitar a pluralidade das bancadas que fazem parte da situação. “Se você tem um governo que tem vinte deputados na base, você tem que receber a pluralidade. Não é nem uma questão partidária. É uma questão plural. De uma ampla base que apoia o governo que acredita e vota as ações importantes”, completou. 

Veja também