(67) 99826-0686
Camara - marco

Ben Hur nega rescisão forçada de contrato com a MDR

Comissão Processante

21 NOV 2013
Carlos Guessy
16h30min
Segundo Ben Hur, as empresas recebiam após a liquidação do serviço e, quando existem pendências, o pagamento não era efetuado. Foto: Jessé Martins

A Comissão Processante da Câmara Municipal, ouviu nessa tarde de quinta (21), o secretário municipal de Planejamento, Finanças e Controle, Wanderley Ben Hur da Silva.

No depoimento, o secretário negou que a Prefeitura tenha forçado a rescisão de contrato com a MDR Alimentos. O proprietário da empresa, Mamed Dib, afirmou à CPI da Inadimplência que foi obrigado assinar uma série de documentos e suspender o contrato, durante reunião no Paço Municipal, para receber valores atrasados.

“Não houve essa conversa, tanto é que não houve os pagamentos. Isso não existiu”, afirmou o secretário, negando que o prefeito Alcides Bernal tenha dado ordens para que alguns prestadores de serviço e fornecedores fossem barrados na hora do pagamento.

A empresa MDR era a responsável pela oferta de alimentos nas unidades de ensino da Capital até maio deste ano. Após a rescisão do contrato, deu lugar à Salute, que conseguiu um contrato de mais de R$ 4 milhões com a prefeitura de Campo Grande.

Sobre os atrasos no pagamento à antiga fornecedora, Ben Hur justificou: “Foi detectado que algumas compras haviam sido efetuadas com adesão à atas vencidas. Durante um tempo houve atraso de pagamento. Não entendo como infração. Se for infração, é um ato administrativo meu. Eu quem cometi”, afirmou o secretário municipal.

O vereador Flavio Cesar (PT do B), fez um balanço no final do depoimento de hoje e declarou para a imprensa que houveram contradições nos depoimentos dos secretários municipais, "Houveram sim, contradições nos depoimentos. Tudo isso vai ser analisado, vamos comparar os documentos que temos em mãos para chegar em um consenso final para a sociedade", revelou.

O depoimento mais aguardo está marcado para a próxima segunda-feira (25) quando Bernal irá vai se defender e encerrar a fase de instruções.

Falta

A coordenadora geral da Central Municipal de Compras e Licitações (Cecom), Gislaine do Carmo Penzo Barbosa seria ouvida nesta tarde (21) e ontem apresentou para a comissão um atestado médico neurológico,  justificando a sua ausência. A próxima oitiva marcada pelos vereadores Edil Albuquerque, Flávio César e Alceu Bueno, que compõem a Comissão, é com o prefeito Alcides Bernal, alvo da Processante.

Veja também