Menu
terça, 18 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Bernal diz cuidar do essencial e deve anunciar secretários na terça

12 setembro 2015 - 10h41Por Rodson Willyams

O prefeito Alcides Bernal (PP) deve nomear na próxima terça-feira (15), o restante do secretariado que deverá compor o alto escalão da prefeitura. Há duas semanas o prefeito vem ensaiando o anúncio, mas até o momento não bateu o martelo sobre o possíveis secretários. Segundo ele, a prioridade agora é resolver os problemas emergenciais da cidade, como o lixo nas ruas, que começou a se recolhido neste sábado (12).

Até o momento, pastas importantes como a  Educação e a Infraestrutura estão no aguardo de um titular para dar continuidade aos trabalhos. "Por enquanto estou cuidando dos serviços essenciais, acompanhando a execução e somente na terça-feira (12) devo anunciar os novos secretários".

Força-tarefa

O prefeito Alcides Bernal iniciou hoje, a força-tarefa que foi criada de forma emergencial para recolher o lixo da região central e vias arteriais de Campo Grande. Segundo Bernal, 500 pessoas, entre servidores do Proinc e voluntários e mais 10 caminhões basculantes e 12 pás-carregadeiras deverão recolher o lixo que se acumula nas principais vias da cidade após a concessionária CG Solurb suspender o serviço alegando falta de pagamento por parte da prefeitura. A operação acontece hoje até amanhã (13) na Capital.

"Eu mesmo liguei para algumas empresas e pedi ajuda para a força tarefa e fui atendido pelo empresários. A força-tarefa também pode chegar aos bairros, mais vai depender da demanda de cada um e obedecendo o cronograma criado", explicou.

Bernal lembrou que ontem (11), uma decisão da Justiça determinou que a Solurb recolha de forma imediata o lixo hospitalar que se acumula e caso a determinação não seja cumprida, a empresa pode ser multada em R$ 30 mil por dia de descumprimento.

O prefeito afirmou que o serviço é considerado essencial e a empresa não poderia suspender o serviço, e que só em 2015 a Solurb já recebeu R$ 56 milhões da prefeitura que seriam suficientes para pagar os seus funcionários. Bernal ainda ressaltou que os pagamentos não foram interrompidos pela prefeitura a Solurb, e que no dia 7 de setembro recebeu uma notificação da própria empresa garantindo que o serviço seria mantido

"As notas fiscais que chegaram serão checadas e se as medidas que constam estiverem certas, nós faremos os pagamentos normais", comentou.

O Chefe do Executivo ainda relatou que o contrato com a empresa pode chegar a quase R$ 2 bilhões ao ano e que o contrato precisa ser revisto. "Não é possível que este serviço consuma tudo isso", finalizou.