(67) 99826-0686
Camara Maio

Bernal ganha mais uma vez na Justiça contra Processante

Embate jurídico

21 JAN 2014
Vanessa Ricarte
18h02min
Prefeito Alcides Bernal. Foto: Geovanni Gomes

Hoje (21) foi divulgada a decisão da 1ª Câmara Civil do TJ/MS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul) que manteve a suspensão da Comissão Processante contra o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP).  A resolução é sustentada desde o dia 26 de dezembro, durante a tentativa da oposição de cassar o mandato do prefeito sob a alegação de fraude em contratos emergenciais feitos durante a gestão de Bernal.

Com dois votos favoráveis à manutenção da suspensão da Comissão Processante dos desembargadores Divoncir Schreiner Maran e João Maria Lós contra um do desembargador Hildebrando Coelho Neto que foi a favor do prosseguimento dos trabalhos da Processante, o prefeito Alcides Bernal obteve na justiça pela 2ª vez seu efeito suspensivo.

Ontem (20) pela manhã, durante evento da SEMED (Secretaria Municipal de Educação),Alcides Bernal reiterou sua posição em afirmar que está sofrendo um golpe político. "Não é fácil enfrentar tantos ataques, até perdemos o cabelo neste primeiro ano, só não perdemos a convicção de administrar a cidade atendendo as pessoas", afirmou.

Contrapartida - O presidente da Comissão Processante, Edil Albuquerque (PMDB), comentou a informação divulgada pela imprensa: "Ainda não recebemos nenhuma documentação formal sobre a decisão. Assim que recebermos e avaliarmos seu teor, iremos nos pronunciar. Mas já adianto que iremos recorrer para a continuidade do trabalho da comissão."

Decisão - A assessoria de imprensa do TJ/MS publicou oficialmente nesta tarde, o motivo pelo qual os dois desembargadores foram favoráveis ao posicionamento do prefeito. A instituição deu ênfase em um dos argumentos de Bernal no processo. "O tempo que lhe for subtraído do mandato que o povo lhe conferiu, jamais será compensado", consta nos autos.

No dia 23 de dezembro, quando questionado pelo TopMídia News durante coletiva de imprensa no Paço Municipal, o prefeito alegou que sua gestão foi prejudicada pela tentativa de retirá-lo do cargo. Na ocasião, afimou: "definitivamente toda essa perseguição prejudicou meu trabalho, não só o meu, mas o de todos os secretários que viveram um verdadeiro 'terrorismo' tendo que nos preocupar dia após dia com futuro da Prefeitura Municipal", relatou Alcides Bernal no ano passado.

Veja também