TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Bernal retoma oficialmente prefeitura de Campo Grande na quinta-feira

25 agosto 2015 - 21h01Por Amanda Amaral e Alessandra Carvalho

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP), chegou, por volta das 20h desta terça-feira (25) em Campo Grande, após passar o dia cumprindo agenda do partido no Distrito Federal. Após decisão do Tribunal de Justiça, Bernal declarou que deve retomar oficialmente os trabalhos no cargo nesta quinta (27). Segundo ele, às 12h do dia pós-feriado, vai se encaminhar ao Fórum Heitor de Medeiros, no Centro, para pedir a autorização de posse ao juiz David de Oliveira Gomes.

Depois de sair do aeroporto, o prefeito se deslocou ao Fórum e, ao sair, declarou que a sua primeira providência ao reassumir a administração municipal será afastar os funcionários fantasmas que recebiam dinheiro público durante a gestão de Gilmar Olarte (PP).

Quanto a um possível pedido de recurso, Bernal afirmou: “o Olarte tem todo direito de tentar esse recurso, mas ele causou muita tristeza à Capital”.

Cerca de 60 pessoas se concentraram em frente ao Fórum, em apoio ao retorno do prefeito, que estava afastado do cargo há um ano e cinco meses. Entre eles, estavam os vereadores Paulo Pedra (PDT), Thaís Helena (PT), Alex do PT, Luiza Ribeiro, do PPS, e Cazuza, do PP.

O prefeito declarou que vai participar do Desfile Cívico em comemoração aniversário de 116 anos da Capital de Mato Grosso do Sul, que acontece a partir das 8 horas da manhã desta quarta-feira (26).

Cerca de 200 pessoas, em dezenas de veículos, aguardaram a chegada de Bernal no aeroporto, que chegou por volta das 20h05 da noite.  


Operação Coffee Break

Conforme o Gaeco, Gilmar Antunes Olarte, prefeito de Campo Grande, e Mario Cesar Oliveira da Fonseca, vereador e presidente da Câmara Municipal, foram afastados dos hoje cargos por articularem a cassação de Alcides Bernal, em março do ano passado. Pelo menos é o que relata o Ministério Público Estadual, em pedido acatado pelo Desembargador Luiz Cláudio Bonassini, relator da investigação.

Conforme os autos, existe a presença de “indícios veemente de que houve uma articulação entre empresários, vereadores de Campo Grande e o atual prefeito de Campo Grande Gilmar Antunes Olarte, consistente no oferecimento de promessas de vantagens, para fins de cassação de Alcides Jesus Peral Bernal”.

Ainda conforme a peça do MPE, encaminhada à Justiça estadual, empresas como Solurb, Proceto e LD Construções teriam recebido benefícios quando Olarte assumiu o poder.

Com essas acusações, o MPE pediu o afastamento de Olarte e Mario Cesar, e denunciou, por condução coercitiva, os vereadores Edil Albuquerque, Airton Saraiva, Waldeny Batista, Giomar Nery de Souza, Carlos Augusto Borges, Edson Shimabukuro, Paulo Siufi e o ex-vereador Jamal Salem. Também denunciou os empresários João Amorim, João Baird e Fábio Portela Machinski.