(67) 99826-0686
REFIS FEV.

Bernal esquece discurso de 'golpe', críticas aos Trad e anuncia apoio a Marquinhos

Atual prefeito disse não descartar cargos na prefeitura caso o candidato do PSD ganhe

8 OUT 2016
Amanda Amaral e Anna Gomes
17h49min
Foto: Anna Gomes

Sem sucesso nas urnas em 2016, Alcides Bernal (PP) firmou oficialmente o apoio à candidatura de Marquinhos Trad (PSD), que concorre com Rose Modesto (PSDB) para substituir o pepista na prefeitura de Campo Grande. Portanto, Bernal deixa para trás as constantes falas sobre ter sofrido um golpe que culminou em sua cassação em 2014, isso porque o irmão de Marquinhos, ex-prefeito Nelsinho Trad (PTB), foi um dos denunciados na Operação Coffee Break.

O anúncio que soma o 5º apoio de ex-candidatos ao PSD foi feito após o prefeito se reunir com secretários municipais e o candidato do PSD. Durante discurso, Bernal disse não ter esquecido das Operações Coffee Break e Lama Asfáltica, mas não se estendeu sobre o assunto e sequer relacionou o ‘golpe’ a Nelsinho, apenas o citando para relembrar sua vitória sobre ele em 2012.

Com a aliança, Bernal esquece todas as críticas feias nos últimos quatro anos ao núcleo Trad. Licitações em final de mandato - caso da CG Solurb -, Coffee Break, Gisa. Nada foi citado pelo prefeito de Campo Grande, cassado inclusive com a participação de Nelsinho Trad, conforme informações do Ministério Público Estadual. Agora, Bernal caminha junto com outro Trad, Marquinhos.

Em discurso, Bernal disse que tomou decisão depois de ‘amplo diálogo’ com a sociedade e que sequer foi procurado por Rose para discutir um possível apoio, apenas com o governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “Minha equipe foi às ruas, ouviu eleitores e partidos, e resolvemos que essa era a melhor escolha”, afirmou.

O atual prefeito também citou que não descarta a possibilidade de ocupar um cargo na próxima administração, caso Marquinhos se consagre vencedor. “Mas a aliança é política, não envolve cargos, e sim o melhor para a cidade”, pontuou.

Marquinhos disse que já acreditava no apoio e que prometeu assumir os projetos de Bernal, firmados em um termo de compromisso. “Nossa aliança é o amor por Campo Grande. Não tenho dúvidas que os nossos eleitores entenderão essa decisão. Sou contra hegemonia, e a favor de quem pede ajuda”, declarou.

Sobre a votação no primeiro turno, onde ficou próximo a candidata Rose em número de votos, Bernal reclamou novamente das pesquisas, as quais considerou como ‘tendenciosas’ e que o prejudicaram.  

Outros quatro candidatos a prefeito que não chegaram ao segundo turno das eleições em Campo Grande decidiram apoiar Marquinhos. Aroldo Figueiró (PTN), Adalton Garcia (PRTB), Elizeu Amarilha (PSDC) e Lauro Davi (PROS) participaram, na noite de sexta-feira (7), de reunião que reuniu cerca de mil pessoas e deu a largada para a reta final da campanha.

Veja também