TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 01 de julho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
Política

Câmara avalia gestão de Marquinhos como positiva, mesmo com algumas 'pedras no caminho'

Para presidente, Marquinhos ainda está 'ajustando' seu governo

16 março 2017 - 12h55Por Rodson Willyams

Com menos de 100 dias de governo do prefeito Marquinhos Trad, do PSD, a avaliação do presidente da Câmara Municipal de Campo Grande, João Rocha, do PSDB, a gestão de Trad é positiva. Segundo ele, o chefe do administrativo municipal está 'ajustando' seu governo e buscando 'entendimento' com os demais poderes existentes.

"Vejo que ele está buscando um grande entendimento político, conversando com lideranças e com os poderes para dar andamentos mais rápidos e condições melhores de vida à população", pontua Rocha.

Para ele, o prefeito ainda está fazendo a adequação do seu governo, considerando que a administração não completou 100 dias ainda. "Ele conta com um grupo experiente. Houve esforço e tempo", sintetiza o presidente.

Marquinhos conta em seu quadro de servidores com auxílio de ex-vereador que não conseguiram ser reeleitos na última eleição, como Carla Stephanini (PMDB), Francisco Luis Saci que foi agraciado com a nomeação da esposa em cargo em comissão na prefeitura. Ademar Vieira Junior, o  Coringa, do PSD, que mesmo citado na Coffee Break, também participa da administração municipal. Na relação, há Cláudio Guasso, conhecido por ser o 'Rei dos Fakes' e que despacha na prefeitura.

Polêmicas

Nomeações -Durante esse período a administração se envolveu em polêmicas devido a nomeações. Entre os indicados pelo prefeito, há indicação de Tércio Marinho da Silva para ser coordenador da Unidade de Acolhimento Institucional - Adolescente. Tércio foi condenado após tentar vender um revólver Rossi, de calibre 38, no Aeroporto Internacional de Campo Grande, em 2014. A indicação foi questionada pela população.

Outro ponto foi a indicação do colunista Dácio Correia, que foi flagrado no Rio de Janeiro para passar o Carnaval, durante o expediente de trabalho. Diante da repercussão, Dácio se desculpou e pediu demissão do cargo, mesmo estando na cidade Maravilhosa.

Sobre esse episódio envolvendo o colunista, Rocha reiterou que o prefeito agiu no momento certo e ainda está colocando o seu 'time em campo'. "Ele põe pra jogar e ao analisar os jogadores vendo que alguns não corresponderam a solução, o certo é ajustar a equipe. No caso do Dácio, o prefeito tomou o cuidado e agiu no momento certo. O Dácio gosta deste evento, mas ele estava sobre outra investidura, mas também tomou a decisão certa", pontuou.

Uber - Em menos de 30 dias, o prefeito já enfrentou outras polêmicas, como o caso do decreto em desfavor dos Uberistas, cuja até o líder na Câmara Municipal Chiquinho Telles, do PSD, confirmou que a decisão do decretado publicado pelo prefeito foi um 'ato precipitado'. O assunto é discutido na Casa de Leis, mesmo a decisão sendo exclusivamente do Executivo, que suspendeu os efeitos do decreto.

Protesto - Marquinhos ainda enfrentou protesto dos agentes de saúde e de combate a endemias, cuja a relação inicial ficou abalada, após o prefeito declarar que não reconhecia a legitimidade do sindicato da classe. Porém, embora houve a polêmica, o prefeito resolver agraciar os agentes com gratificação de R$ 1 mil, a morador que for sorteado pela prefeitura - para quem estiver em dia com IPTU e com a casa limpa ganhará prêmios. Isso no combate ao mosquito da Dengue. O agente daquela região ganha a quantia de R$ 1 mil.

Por outro lado, concursados recentemente também protestaram e sobrou até a para a Secretária Municipal de Assistência Social, Maria Angélica Fontanari de Carvalho e Silva, cujo aprovados em concurso público para o cargo de assistente social na SAS (Secretaria de Assistência Social) em 2013 contestaram a informação divulgada pela titular da pasta, que houve convocações para a secretaria na atual gestão. Aprovados desmentiram e afirmaram que às únicas convocações foram na administração do ex-prefeito Alcides Bernal.

Acertos - Por outro lado, o prefeito embora tenha tido problemas, acertou em outros pontos, como o por exemplo: o pagamento dos servidores em dia, sem a necessidade de escalonamento. A retomada institucional com a Câmara Municipal.

Apesar de ainda apresentar problemas, resolveu o problema de medicação na rede pública de saúde. Nos últimos dias, nem soro fisiológico havia nas unidades.

Chiquinho Telles, afirmou ao TopMídiaNews, que o prefeito segue resolvendo 'heranças malditas' deixa para esta administração. "Aos poucos ele vai ajustando", finaliza.