ALMS CONTAR 25/06 A 27/06
(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

Câmara realiza hoje audiência pública para debater Orçamento 2017

O Secretário de Finanças, Disney Fernandes deve comparecer na Casa de Leis

16 NOV 2016
Rodson Willyams
08h35min
Foto: Arquivo TopMídiaNews

A Comissão de Orçamento e Finanças, da Câmara Municipal de Campo Grande, realiza nesta quarta-feira (16), às 15 horas, audiência pública para discutir o orçamento municipal para 2017. A Comissão convidou o secretário municipal de Secretaria de Planejamento, Finanças e Controle, Disney Fernandes.

O relator do orçamento, vereador Eduardo Romero, da Rede Sustentabilidade, revela que a questão financeira do município é preocupante, resultado da falta de planejamento das gestões nos últimos anos. Pelo projeto original apresentado pela atual gestão, são 12 setores públicos com menor investimento para o ano que vem, conforme análise do relator.
     
O projeto do Executivo, que prevê R$ 3.590.000.000,00, foi encaminhado para a Câmara Municipal no final de setembro e a partir daí passou a ser analisado e receber emendas dos parlamentares.
 
De acordo com o projeto apresentado, a área que terá maior queda no investimento é a de transporte com 2,50% a menos do que foi neste ano. Neste setor para 2016 a previsão de investimento foi de 14,07% do orçamento municipal e para o próximo é de 11,57% do orçamento, o que representa menos R$ 70.780.036,00.
 
Outra área com vasta demanda e que tem previsão de menos investimento é a educação. Para este ano a previsão de investimento foi de 22,16% do orçamento municipal e para o ano que vem é de 21,64%, ou seja, uma queda de 0,52%, que representa em dinheiro menos R$ 11.238.614,00.
 
Além de transporte e educação outras áreas também estão com previsão orçamentária de menos investimentos: habitação (-0,34%), administração (-0,27%), direitos da cidadania (-0,19%), trabalho (-0,15%), reserva de contingência (-0,15%), legislativa (-0,08%), ciência e tecnologia (-0,06%), comércio e serviços (-0,06%), judiciária (-0,02%) e comunicação (-0,01%).

Veja também