tce janeiro
Menu
quinta, 27 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Carla Stephanini acusa Luiza de ser oportunista em sessão na Câmara

29 outubro 2015 - 11h45Por Izabela Sanchez e Dany Nascimento

“O PPS caminhava com o PMDB, mas pelo que percebi o PPS está do lado de quem ganha, para conquistar espaço”. Foi assim que a vereadora Carla Stephanini (PMDB) acusou Luiza Ribeiro (PPS) de ser oportunista. Ao fazer uso da tribuna na manhã desta quinta-feira, 29, na Câmara Municipal, a peemedebista, olhando nos olhos da vereadora, afirmou “não ter problema nenhum de falar diretamente para quem está falando”.

O incômodo de Stephanini se deve ao fato de Luiza ter atacado o PMDB no depoimento que deu ao Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado ). “A vereadora ataca vereadores, ataca o PMDB, ataca essa Casa, ataca a Assembleia e se esquece que um dia caminhou ao lado do nosso partido”, cutucou.

Ela ainda continuou o ataque verbal, citando o marido de Luiza, Flávio da Costa Britto Neto, condenado pelo Tribunal de Contas da União (TCU) em 2012 por pagamentos indevidos a época em que era dirigente da Fundação Nacional de Saúde (Funasa). A condenação foi o motivo que causou a exoneração de Flávio, que hoje é comissionado na Casa Civil ligada ao governo do estado.

“A Luiza levantou suspeitas infundadas atacando lideranças políticas, se esquecendo da condenação do seu marido do TCU. Tanto que a senhora cobra e responde com dúvidas. Será que o seu marido que está hoje com o governo do estado, tem os mesmos interesses mesquinhos que a senhora? Que despreza o trabalho desta Casa ao falar da cassação de Alcides Bernal. Aqui não tem catraca pra pular, aqui tem Comissão de ética”, enfatizou Carla.

As afirmações ganharam respaldo dos vereadores peemedebistas Paulo Siufi e Edil Albuquerque. Questionada sobre o direito de resposta, Luiza apenas afirmou que “essa é a opinião da vereadora e eu respeito”.

“Eu faço política em cima de relações sociais. Não faço política baseada nos princípios familiares. Não fui apartá-la, porque ela não gostaria. Não farei pronunciamento. Tudo bem, se essa é a opinião dela”, concluiu.

Alex do PT, que já afirmou que os escândalos do ex-governador e grande nome do PMDB no estado, André Puccinelli, “estão sendo encobertos”, tentou defender Luiza Ribeiro. Mas Stephanini continou: “A essa Casa compete debater sim esse depoimento, porque a vereadora usou o seu raciocínio para lançar dúvidas sobre essa Casa e os vereadores não podem ser submetidos a isso”, defendeu.