Menu
terça, 24 de novembro de 2020
Política

Chocolate usa tribuna para desabafar retaliação

Pressão

17 outubro 2013 - 12h02Por Juliene Katayama

Depois da retaliação, o vereador Chocolate (PP) subiu à tribuna, nesta manhã, para desabafar a pressão que tem sofrido desde sua posição contrária ao prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). Ele não conteve a emoção e chorou comovendo os colegas. O vereador votou pela abertura da Comissão Processante, na última terça-feira, que poderá cassar o mandato do prefeito.


No mesmo dia da votação, o Chefe do Executivo assinou a exoneração de Claudia Nubia Ferreira Duarte, mulher de Chocolate, que estava nomeada na Secretaria de Governo. Mas o prefeito voltou atrás da sua decisão e revogou o decreto de exoneração, publicada no Diogrande desta quinta-feira.


No entanto, Chocolate afirmou que não permitirá que sua mulher volte a trabalhar na prefeitura. "Não quero que ela volte", ressaltou. Para ele, caso ela retorne ao su posto, continuará sofrendo perseguição do grupo do prefeito.


Segundo o vereador, esta não foi a primeira vez que sofreu perseguição após o rompimento com Bernal. Conforme desabafou na tribuna, desde seu afastamento, em março deste ano, pessoas ligadas ao prefeito usaram as redes sociais para atingi-lo. "São pessoas da prefeitura que me mandam mensagens constrangedoras", disse.


Ele também afirmou que não foi criticado pelos seus eleitores. Pelo contrário, o vereador tem recebido mensagens nas redes sociais de apoio e congratulações pela atitude. "No Facebook só apanhei do pessoal do Bernal, a maioria das pessoas me elogiaram", pontuou.


Quebra - Chocolate revelou que seu rompimento com o prefeito aconteceu depois de Bernal o mal tratou em algumas situações. "Ele me chamou a atenção uma, duas, três vezes. Na terceira eu coloquei um ponto final", explicou. No início do mandato, ele era o vereador mais próximo do Chefe do Executivo. Estavam sempre juntos e até serviu de motorista.


Mas depois do início dos conflitos, Chocolate se afastou do prefeito e sua atuação como vereador passou a ser independente. O primeiro sinal de que a relação estava em crise foi quando votou contra os vetos de Bernal sobre reajuste dos salários dos servidores. A partir daí, a pressão contra ele se intensificou.


Leia Também

Está faltando cerveja no mercado: bebida começa a faltar no Brasil
Geral
Está faltando cerveja no mercado: bebida começa a faltar no Brasil
Vendedor diz que guarda municipal faz concurso a “nível macaco” e se dá mal
Polícia
Vendedor diz que guarda municipal faz concurso a “nível macaco” e se dá mal
Senador é suspeito de estuprar jovem depois de festa em São Paulo
Política
Senador é suspeito de estuprar jovem depois de festa em São Paulo
Geraldo Resende alerta para novo aumento de casos da covid em MS
CORONAVÍRUS
Geraldo Resende alerta para novo aumento de casos da covid em MS