Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Com dados nas mãos, Bernal escalona salários e corta gastos

28 agosto 2015 - 17h29Por Vinícius Squinelo e Rodson Willyams

Alcides Bernal, do PP, anunciou nesta sexta-feira (28) as primeiras ações no retorno a administração de Campo Grande. Conforme ele, a situação do município é ‘grave’, com uma déficit de orçamento ultrapassando R$ 110 milhões, e a Prefeitura da Capital terá que tomar medidas para evitar o colapso. Por isso, Bernal confirmou o escalonamento de salários dos servidores em setembro e o corte de despesas.


Durante coletiva de imprensa no fim desta tarde, Bernal mostrou os números da administração: hoje são R$ 10 milhões em caixa. Só para pagar os salários de agosto, a prefeitura teria que contar com R$ 90 milhões disponíveis até o dia 5 de setembro, o que não será possível.


Com isso, servidores municipais terão os salários escalonados. Ou seja, o dinheiro será liberado para os trabalhadores ao longo do mês. O servidor recebe integral, mas ainda não sabe em que dia.


“Hoje não temos dinheiro, a situação é grave”, resumiu Bernal, após reunião com equipe técnica do município.


O prefeito também anunciou cortes no orçamento. Empresas de tapa-buracos, por exemplo, vão receber só daqui a 60 dias, quando o município deve ter começado a se recuperar.


Nos cálculos da equipe de Bernal, o custeio de toda a máquina municipal gira em torno de R$ 120 milhões ao mês. Caso não repasse o duodécimo da Câmara – de R$ 4,5 milhões – por exemplo, Bernal pode responder por improbidade administrativa.


Mesmo com todos os problemas, Bernal garantiu que o serviço básico para o campo-grandense será mantido e melhorado. Um exemplo será a CG Solurb que o prefeito afirmou que não tem como cortar imediato porque é um serviço essencial. "Mas nós vamos seguir a recomendação do Ministério Público Estadual", afirmou. 

O prefeito ainda lembrou que os R$ 1,2 bilhão que desapareceram dos cofres públicos deve se tornar caso de polícia. Bernal ainda lembrou que recursos federais também foram desviados e que esta foi uma das razões para que a Polícia Federal abrisse investigação que resoltou na Operação Lama Asfática. 


Primeiro escalão
Como na primeira vez que assumiu a prefeitura, em 2013, Bernal adiou o anúncio de todo o nome de todo o secretariado, anunciando apenas mais um nome: de Denir de Souza Nantes como Procurador-Geral do Município. O nome foi uma surpresa, já que Luiz Carlos Santini era dado como certo para o cargo.


Bernal também anunciou o nome do Major Ludson Loleto para a Secretaria Municipal de Segurança Pública.


Veja os nomes confirmados no primeiro escalão:


EMHA - Agência Municipal de Habitação de Campo Grande: Dirceu de Oliveira
FUNSAT - Fundação Social do Trabalho de Campo Grande: Aldo Donizete
PGM - Procuradoria Geral do Município: Denir de Souza Nantes

FAC - Fundo de Apoio à Comunidade - Mirin Bernal
SEGOV - Secretaria Municipal de Governo e Relações Institucionais: Paulo Pedra
SEMAD - Secretaria Municipal de Administração: Ricardo Ballock
SEPLANFIC - Secretaria Municipal de Planejamento, Finanças e Controle: Disney Soza
SESAU - Secretaria Municipal de Saúde Pública: Ivandro Fonseca
SEMADUR - Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano: Rui Nunes
SEMSP - Secretaria Municipal de Segurança Pública: Major Ludson Loleto