(67) 99826-0686
ENTREGAS

Comissão de Ética volta atrás e diz que processo contra Durães só termina no final do mês

Previsão inicial era de finalizar relatório na semana passada

15 SET 2016
Rodson Willyams
16h57min
Foto: Arquivo TopMídiaNews

Previsto para ser encerrado na semana passada, o relatório sobre a denúncia contra o vereador Roberto Durães, do PSC, responsável pelo icônico caso do 'Silêncio dos Edredons' ainda não está pronto por falta de documentos. Na terça-feira (13), o relator da Comissão de Ética, vereador Herculano Borges, do SD, informou que ganhou mais prazo para ser concluir o texto.

Segundo Herculano, durante a análise, a Comissão de Ética identificou que, no processo, não havia sido anexado a ata de sessão. "Nós estamos dentro do prazo, vimos que faltaram alguns documentos como, por exemplo, a ata da sessão. Nós já concluímos a fase de levantamento e agora iniciamos a fase de instrução final".

Ainda de acordo com o relator, a Comissão de Ética estaria dentro do prazo e de acordo com as normas da resolução 1044, que estabelece o procedimento. Para ser concluído, o parlamentar ainda informou que serão necessários sete sessões para que seja finalizado o relatório. "Acredito que o final do mês devemos concluir esse relatório", finalizou.

Silêncio dos Edredons

Em maio deste ano, às vésperas do Dia das Mães, o vereador Roberto Durões (PSC) atacou o prefeito Alcides Bernal, do PP, ao afirmar que conhece sua mãe "no silêncio dos edredons”, durante discussão de votação de projetos na Câmara de Vereadores. Toda a fala foi registrada em vídeo. 

Durante a ordem do dia, ao pedir a palavra para discutir projeto que estava em votação, o vereador Durães destacou que o prefeito afirmou à imprensa que a Câmara era uma “corja”. “O prefeito atacou está Casa inteira. Não apenas os vereadores da Oposição. Mas também chamou de corja o Betinho, a Luiza Ribeiro e o Cazuza”, disse.

Durães continuou e atacou a mãe do prefeito com insinuações de baixo calão. “Então vou mandar um recado para o prefeito. Eu conheço muito a senhora mãe dele. Conheço demais a mãe dele. Como eu conheço. Já que é uma corja, fala para a mãe dele que a mãe dele vai dizer, principalmente no silêncio dos edredons”, completou Durães.

O caso gerou repercussão imediata e o presidente da Câmara Municipal, João Rocha, do PSDB, se viu obrigado a se posicionar. No dia que Durães pediu desculpas, a sessão precisou ser encerrada às pressas, mas mesmo assim, houve briga dentro do Plenário da Casa de Leis. Após o episódio, o parlamentar chegou a ficar a afastado por alguns dias até que os ânimos se acalmassem.

Em razão disso, o parlamentar foi alvo de processo de investigação por falta de decoro parlamentar. Apesar de o relator afirmar que está dentro prazo, uma data nunca foi especificada para a contagem de prazo.

Veja também