(67) 99826-0686
PMCG - SLOGAN 17/06 A 30/06

CPI das Vacinas vai confrontar resultado de sindicância da Sesau

Parlamentares devem ouvir Ivandro Fonseca na sexta e finalizar relatório na próxima semana

8 NOV 2016
Diana Christie e Rodson Willyams
10h54min
Reunião de membros da CPI das Vacinas Foto: André de Abreu/Arquivo

Com previsão de ouvir o secretário municipal de Saúde, Ivandro Fonseca, na próxima sexta-feira (11), os membros da CPI da Saúde pretendem confrontar os dados de sindicância realizada pela Sesau com os documentos e depoimentos colhidos durante a investigação parlamentar.

As informações são do presidente da Comissão de Inquérito, vereador Marcos Alex (PT). Segundo ele, os parlamentares receberam o relatório da Secretaria de Saúde na noite de ontem (7), em um CD, e só aguardam conversar com o responsável pela pasta para finalizar o relatório da CPI, a ser entregue na próxima semana.

Conforme a Sesau, o suposto desaparecimento de quase três mil doses de vacinas contra o vírus Influenza H1N1 da rede pública de saúde tratou-se apenas de ‘queda natural’ de doses. Após a explosão de denúncias, o secretário da pasta, Ivandro Fonseca, abriu sindicância e, após análise, a prefeitura constatou que não houve desaparecimento de vacinas.

A quebra natural teria ocorrido por conta do manuseio das vacinas. Segundo a Sesau, os profissionais deveriam agitar as doses, porém, alguns acabavam 'chacoalhando', com isso formava uma espuma na vacina e a aplicação acabava prejudicada. Por essa razão, as doses eram descartadas. 'Houve uma perda insignificante de doses, gerada pelo manuseio', pontua a assessoria da prefeitura. Além disso, as quebras também ocorrem de forma natural, sendo as perdas minimizadas da melhor forma possível, dentro da média prevista pelo Ministério da Saúde.

Apesar do resultado da sindicância apontar regularidade no processo, os vereadores destacam que ainda precisam avaliar os documentos e que a CPI das Vacinas não teve cunho eleitoral. “A Câmara fez o papel de agente fiscalizador e só entrou nesse processo depois que o próprio secretário anunciou que haviam desaparecido vacinas. A própria polícia e o Ministério Público entraram nessa questão para apurar essas denúncias”, destaca Marcos Alex.

O vereador ainda lembra que outras denúncias surgiram durante a investigação, como suposta vacinação de membros do primeiro e segundo escalão da prefeitura no gabinete de Alcides Bernal (PP) e reforça que a Câmara Municipal só fez o seu papel, que é apurar e fiscalizar as ações do Poder Executivo.  

Segundo a assessoria de imprensa da Sesau, uma cópia do relatório da sindicância também foi entregue ao delegado Fabiano Nagata, titular da 1ª Delegacia de Polícia, na semana passada. A Polícia Civil também estava acompanhando o caso e chegou a ouvir algumas testemunhas. 

Veja também