tce janeiro
SENAR 26/01
Menu
quarta, 26 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

CPI vai investigar prática de cartel e abuso nos preços dos combustíveis

25 novembro 2015 - 16h02Por Kamila Alcântara

Por unanimidade, os deputados estaduais definiram ontem (24) os membros da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) dos Combustíveis, que irá apurar possíveis irregularidades na distribuição de combustíveis no Estado. O deputado José Carlos Barbosa, o Barbosinha (PSB), foi eleito presidente, João Grandão (PT) vice-presidente e Maurício Picarelli (PMDB) será o relator.

Segundo Barbosinha, será refeito todo o processo de comercialização dos combustíveis, até chegar ao consumidor. "Precisamos percorrer todos os caminhos desse combustível, o impacto do tributo, do frete e qual mecanismo que justifica esses aumentos e acréscimos de valores tão substanciais", explica.

Entre uma das possíveis irregularidades, está a alta no etanol, produto que é produzido em Mato Grosso do Sul, mas é comercializado com preços acima do comum. "Aqui é um Estado produtor do etanol, nós não consumimos nem 15% do que é produzido aqui, mas quando vai para fora é vendido muito mais barato do que no próprio Estado. O aumento do álcool agora é absurdo", aponta.

Ainda de acordo com o Barbosinha, há denúncias de formação de quartel nos municípios do interior, que é considerado um crime contra a economia e prejudica diretamente a população. "Você mora em uma cidade, não dá para abastecer em outra, procurar um lugar mais barato. Se todos os postos estão com os preços tabelados, iguais, não há outra alternativa. Isso impede a livre concorrência, um crime econômico", conclui.

Depois da escolha dos membros titulares da CPI, a próxima reunião será na próxima terça-feira, dia 1º de dezembro, às 14h, no plenarinho da Assembleia Legislativa.