TCE JUNHO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 27 de junho de 2022 Campo Grande/MS
GOV ENERGIA ZERO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
GOV CRESCIMENTO JUNHO 2022
Política

Delcídio luta para concorrer nestas eleições e dispara: ‘eu voltei’

Se o sonho não for possível, ele promete trabalhar na campanha e pavimentar futuro retorno

01 agosto 2018 - 16h30Por Diana Christie

Depois de ser inocentado em processo por obstrução de justiça, o senador cassado Delcídio do Amaral (PTC) promete voltar com tudo para a política sul-mato-grossense. O primeiro passo é tentar candidatura ainda nestas eleições, que ocorrem em outubro, mas se o sonho não for possível, ele promete trabalhar na campanha e pavimentar futuro retorno.

“Existe a possibilidade. Eu estou muito feliz, absolvido, resgatei minha honra, inocentado. Isso é importante. Enquanto outros que, inclusive, fizeram grandes discursos contra mim, tentando se aproveitar da situação, estão pendurados aí, alguns com malas de dinheiro. Eu não fui denunciado por corrupção, eu não tenho desvio de dinheiro na minha história. [Foi] obstrução de justiça, que não aconteceu”, declarou em entrevista exclusiva para o TopMídiaNews.

Delcído garante que é inocente e foi vítima de uma emboscada de Bernardo Cerveró, filho do ex-diretor da Petrobras Nestor Cerveró. Ele alega que a imprensa não noticiou o conteúdo completo da conversa que o levou na prisão por supostamente arquitetar a fuga de Nestor da prisão, omitindo trecho em que ele enfatiza a necessidade de se fazer cumprir a justiça.

Com a possibilidade de limpar a ficha, ele ainda promete correr atrás do tempo perdido. “A recuperação dos direitos políticos é uma questão de tempo porque a minha absolvição, eu ser inocentado, o fato gerador da cassação desaparece. Eu estou, evidentemente, com meus advogados olhando se há chances de eu ser candidato, se não vou participar dessa campanha. E recuperar direito politico é só uma questão só de tempo. Se não der agora em 2018, vai ser em 2020, 2022. Eu voltei”, completa.

Assista a entrevista completa: