ALMS junho neocom
Menu
sábado, 19 de junho de 2021
MEDIDAS RESTRITIVAS 19/06 a 30/06/2021
Política

Deputado de MS arranja desculpa para e-mails da vacina ignorados por Bolsonaro

Deputado Luiz Ovando acredita que CPI Covid não vai atrapalhar gestão de Bolsonaro

09 junho 2021 - 19h00Por Nathalia Pelzl

O deputado federal Luiz Ovando (PSL) voltou a defender o presidente da República, Jair Bolsonaro, sobre sua atuação na pandemia da covid-19. 

Conforme o deputado, a CPI da Covid, instaurada para apurar possíveis irregularidades no combate à pandemia, não vai ‘manchar a gestão do presidente’. 

A declaração foi dada durante entrevista para uma rádio de Campo Grande, no início da semana. 

Segundo Ovando, “Bolsonaro agiu em todas as fases em época oportuna”, mesmo quando ignorou diversos e-mails com ofertas da Pfizer. 

“Estão tentando maquiar fatos e distorcer acontecimentos para imputar ao presidente uma série de responsabilidades que ele não cometeu”, revelou na entrevista. 

Na versão de Ovando, em julho, quando a Pfizer ofereceu 70 milhões de doses, a terceira fase da pesquisa ainda não havia sido aprovada. 

“Isso só aconteceu entre os dias 10 e 15 de novembro. Então, o presidente esperou e disse não. Agora, querem imputar essa negação do presidente como causador de tudo que está aí”.  

Pfizer x Bolsonaro

Cópias de emails trocados entre o governo federal e a Pfizer, obtidos via Lei de Acesso à Informação, mostram que o gabinete do presidente Jair Bolsonaro acusou recebimento, no dia 14 de setembro, de uma carta da farmacêutica americana que reiterava propostas de venda de doses da vacina contra Covid-19. 

No entanto, na ocasião, não houve o fechamento de compras. Apenas no dia 9 de novembro, por intermédio do então secretário de Comunicação da Presidência (Secom) Fábio Wajngarten, segundo relato do próprio à CPI da Covid, o governo voltou a negociar com a farmacêutica.