Menu
Busca sexta, 03 de julho de 2020
ALMS
Política

ANO PERDIDO? Veja o que pensam deputados de MS sobre cancelar ano letivo

Alguns estados do Brasil cogitam a ideia por causa da suspensão das aulas presenciais

06 junho 2020 - 15h15Por Rayani Santa Cruz

Depois da pandemia, pais e alunos tiveram de se adaptar a novas formas de ensino e muitos ainda estão com dificuldades em realizar aulas por vídeo e online.

Diante da situação, algumas entidades de estados vizinhos já cogitam pedir o cancelamento  do ano letivo, caso a situação piore.

Representando Mato Grosso do Sul, os deputados federais Fábio Trad (PSD) e Luiz Ovando (PSL) são contra o cancelamento.

Questionado sobre o assunto, Fábio Trad acredita que existam meios de continuar as aulas e não perder o ano. “Sou contra. Acho que tem que adotar todas as alternativas para aproveitar o ano letivo. Criatividade, resiliência e foco na gestão pedagógica e administração escolar são fundamentais neste momento”.

O bolsonarista Ovando diz que não existem justificativas para tal ato. "De forma alguma. Não se justifica. Temos ainda muitos dias que possam ser usados como letivos para se atualizar a programação curricular", ponderou.

Até o momento, o Ministério da Educação aprovou que as aulas de escolas e faculdades poderão ser recuperadas aos sábados e nas férias para cumprir a carga horária do ano letivo. 

Leia Também

Mandetta vai analisar pandemia do coronavírus em live com vereadores de Campo Grande
Política
Mandetta vai analisar pandemia do coronavírus em live com vereadores de Campo Grande
Adolescente é espancado a pauladas por primos em Aquidauana
Interior
Adolescente é espancado a pauladas por primos em Aquidauana
Resende ameaça lockdown e diz que prefeitos devem deixar de pensar em campanha eleitoral
Saúde
Resende ameaça lockdown e diz que prefeitos devem deixar de pensar em campanha eleitoral
BARBÁRIE: policial paraguaio mata filhos de 1 e 2 anos, sogros, cunhadas e se mata
Polícia
BARBÁRIE: policial paraguaio mata filhos de 1 e 2 anos, sogros, cunhadas e se mata