TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Elza pode depor ainda nesta semana no Gaeco

23 setembro 2015 - 08h08Por Rodson Willyams

O coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado), promotor Marcos Alex Vera de Oliveira, deve realizar nova oitiva até o final desta semana na sede do órgão durante a Operação Coffe Break, em Campo Grande.

Informações extra-oficiais apontam que Elza Amaral pode prestar depoimento ao promotor ainda nesta semana. A informação não foi confirmada pelo Gaeco, mas que afirma que somente uma pessoa será ouvida nesta semana.

Segundo a Operação da Lama Asfáltica, deflagrada pela Polícia Federal, em julho deste ano, apontou a empresária como braço direito do empreiteiro João Amorim, principal pivô da investigação.

Conforme o inquérito da Polícia Federal, Elza atendia empresários, servidores públicos e até políticos para receber o famoso 'cafezinho' - propina que seria paga pela organização criminosa.

Até o momento, 22 pessoas já foram ouvidas pelo promotor entre testemunhas e investigados. Como testemunha estava o ex-governador André Puccinelli, do PMBD, principal liderança política em Mato Grosso do Sul.

Destes, 13 pessoas chegaram a ser detidos durante o início da investigação por meio de uma liminar que decretou favorável a condução coercitiva, sendo nove vereadores, um ex-vereador e três empresário, João Amorim e João Baird a serem ouvidos na sede do Gaeco.

O caso segue tramitando sob segredo de Justiça, mas uma cópia do processo foi encaminhada para a Câmara Municipal, ao presidente da Comissão de Ética, vereador João Rocha, do PSDB, que investiga a denúncia de quebra de decoro de nove parlamentares que possivelmente teria ligações com a cassação de Alcides Bernal, do PP.