TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Em enquete, população aprova administração de Bernal

28 setembro 2015 - 15h54Por Rodson Willyams

O prefeito Alcides Bernal completo,u neste domingo (27), um mês que está a frente da administração municipal desde que foi reconduzido ao cargo pela Justiça no dia 25 de agosto, mas  que só ocupou o Paço Municipal no dia 27 do mesmo mês. Diante disto, o TopMídia News lançou a seguinte enquete: Como você avalia as primeiras semanas da volta de Alcides Bernal?

Foram oferecidas quatro opções de votação para os participantes da enquete que permaneceu por uma semana no site: ótima, boa, regular e ruim.

O resultado obtido foi seguinte: 39% disseram que a administração de Alcides Bernal está ótima; no entanto, o prefeito deve ficar atento porque 28% dos participantes acreditam que a administração dele está 'ruim'. Seguindo a pesquisa, 21% declararam que a administração está 'boa'. E 11% afirmou que a administração de Bernal está 'regular'.

 

Em um mês que voltou administrar a cidade, Alceis Bernal enfrenta algumas dificuldades econômicas devido a crise financeira que está instalada no país e reflete no município. Tem ainda, o rombo de R$ 158 milhões deixada pela antiga administração do prefeito afastado pela Justiça, Gilmar Olarte.

Crise

Outro desafio econômico que o prefeito terá enfrentar será o escalonamento dos salários dos servidores. Durante a prestação de contas, o prefeito chegou a afirmar que a prefeitura tinha em setembro, apenas R$ 10 milhões no caixa, para uma folha de pagamento que chega a R$ 90 milhões.

Como se não bastasse a questão salarial, o rombo que deve avançar outubro e deixar o financeiro da prefeitura ainda mais no negativo, há a questão do 13º salários dos servidores. Bernal afirma que Olarte deveria ter depositado R$ 7 milhões na conta para ter em caixa neste mês, com segurança, R$ 60 milhões para pagar o 13º salário. No dia da apresentação sobre a situação econômica de Campo Grande, a prefeitura tinha na conta, apenas R$ 109 mil.

O presidente do Sisem (Sindicato dos Servidores Municipais), Marcos Tabosa, já anunciou que deve entrar na Justiça questionado o escalonamento sobre o pagamentos dos servidores municipais. Porém, a mesma medida chegou a ser aceita em julho pelo presidente durante coletiva de imprensa realizada ao lado do prefeito afastado, Gilmar Olarte.