GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
TRE
Política

Advogados vão pedir saída de Temer com argumentos do impeachment de Dilma

30 março 2016 - 10h10Por Jornal do Brasil

Um grupo de advogados estuda um pedido de impeachment contra o vice-presidente Michel Temer (PMDB), que usaria os mesmos argumentos do processo em curso contra a presidente Dilma Rousseff (PT). De acordo com colunista de Mônica Bergamo na Folha de S. Paulo, o texto deve ser idêntico ao apresentado pela OAB nesta semana contra Dilma.

Temer, presidente do PMDB, também foi citado na delação do senador Delcídio do Amaral (sem partido) e também assinou decretos que estão sendo apontados como "pedaladas" fiscais. O PMDB também foi apontado em delações da Lava Jato como beneficiário de propinas do esquema da Petrobras.

PMDB rompe com governo e desautoriza ocupação de cargos no Executivo

O PMDB oficializou em reunião de três minutos na tarde desta terça-feira (29) o rompimento com o governo Dilma Rousseff, em votação simbólica por aclamação e não por contagem de votos.

O senador Romero Jucá (RR), vice-presidente do partido, que comandou o anúncio, pediu aos presentes que se levantassem para aprovar a decisão, e atestou em seguida que a partir deste dia ninguém do partido está autorizado a ocupar qualquer cargo federal em nome do PMDB. Parlamentares entoaram "Brasil, pra frente, Temer presidente" e "Fora, PT".

O "a partir de hoje", contudo, também foi simbólico, e os ministros podem entregar os cargos até meados de abril, e o PMDB ainda pode considerar o pedido de outros para licença da legenda. A moção que determinou a entrega dos cargos e também uma punição a quem desobedecer tem autoria do diretório regional da Bahia, assinada por Geddel Vieira Lima.

O vice-presidente da República, Michel Temer, decidiu, em conjunto com Renan e com o senador Eunício Oliveira (CE) declarar a ruptura do PMDB com o governo por aclamação, e não por contagem de votos.