Menu
Busca sábado, 06 de junho de 2020
Camara - corona
Política

Integrantes da Comissão Processante ouvem testemunhas nesta quarta-feira

Reunião

13 novembro 2013 - 07h12Por Da Redação

A série de depoimentos agendados  pela Comissão Processante, da  Câmara Municipal de Campo Grande iniciam nesta quarta-feira (13). A iniciativa visa apurar as possíveis denúncias de irregularidades em contratos emergenciais firmados pela Prefeitura de Campo Grande.  

Os integrantes da Comissão ouvirão quatro testemunhas: Érico Chezini Barreto – representante da empresa Salute Distribuidora de Alimentos Ltda; Elton Luiz Crestani – proprietário da empresa Jagás; Milton Felice – representante empresa Megaserv e Mamed Dib – proprietário da empresa MDR Distribuidora de Alimentos.

O primeiro depoimento está marcado para as 9 horas de hoje, com Érico Chezini Barreto – representante da empresa Salute Distribuidora de Alimentos Ltda. Em seguida, às 10 horas, será ouvido o proprietário da empresa Jagás, Elton Luiz Crestani.

Na parte da tarde as oitivas continuam. Às 14 horas, será ouvido Milton Felice, representante empresa Megaserv e às 15 horas será a vez de Mamed Dib, proprietário da empresa MDR Distribuidora de Alimentos. As demais oitivas estão agendadas para os dias 19, 20, 21 e 25 de novembro. 

Justiça - Na tentativa de por fim aos trabalhos da Comissão Processante, ontem, (12), a  Justiça negou o mandado de segurança ajuizado pelo prefeito Alcides Bernal (PP). O prefeito entrou com o pedido na 1ª Vara de Fazenda Pública e de Registros Públicos de Campo Grande.

Leia Também

VÍDEO: para rebater Bolsonaro, JN aciona 'plantão' sem necessidade e divulga dados da covid
Geral
VÍDEO: para rebater Bolsonaro, JN aciona 'plantão' sem necessidade e divulga dados da covid
Ministro Marco Aurélio autoriza Jamil Name a voltar para presídio do MS
Cidade Morena
Ministro Marco Aurélio autoriza Jamil Name a voltar para presídio do MS
TRÁGICO: brasileiros mortos pela covid-19 já passam dos 35 mil
Geral
TRÁGICO: brasileiros mortos pela covid-19 já passam dos 35 mil
ABSURDO: Fachin proíbe operações policiais em favelas do Rio durante pandemia
Geral
ABSURDO: Fachin proíbe operações policiais em favelas do Rio durante pandemia