TCE MAIO
(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Jefferson desfruta a liberdade e recebe contribuição para pagar multa

Pré-prisão

23 FEV 2014
O Estado de S. Paulo
15h05min
Roberto Jefferson também quer "vaquinha" para pagar multas. Foto: Marcelo Fonseca/Brazil Photo Press/Folhapress

O ex-deputado federal, Roberto Jefferson (PTB), delator do esquema do Mensalão, aproveitou a manhã deste domingo (23) em Levy Gasparian, interior do Estado do Rio de Janeiro, para um longo passeio em sua moto Halley Davidon. "Estou desfrutando os momentos finais da minha liberdade", disse aos repórteres que fazem plantão em frente a sua residência, no aguardo da ordem de prisão emitida pelo Supremo Tribunal Federal (STF), e completou:  "Quanto a vocês, curtam sua liberdade, que é o bem mais precioso que vocês têm". Policiais de plantão em sua casa desde sábado não o acompanharam

Surpresa maior para os jornalistas, policiais, grupo de curiosos foi a do próprio Roberto Jefferson ao ser abordado pelo comerciante Afonso Celso Dominguito de Castro, que o aguardou por aproximadamente meia para "para ser o primeiro doador na 'vaquinha' lançada pelo ex-deputado para ajudar a pagar a multa de R$ 720 mil estipulada pelo STF".

"Vim pessoalmente entregar os R$ 100 que acabei de sacar no banco e mostrar a cara. Vou lhe fornecer o número do meu CPF para que seja declarado, diferente dos "Petralhas" que fizeram uma arrecadação virtual", disse reiterando que "eles estão quebrando o país".

Afonso viajou com sua moto, também Harley, por cerca de 2 horas de sua casa na cidade de Cataguazes (MG), até a residência de Jefferson. Castro disse admirar a coragem e determinação de Jefferson em delatar o esquema do mensalão durante a primeira gestão do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e afirmou que, no seu entender, foi um importante passo para nós, brasileiros, bem como a atitude dos ministros do Supremo, a quem envia abraços, em especial para o ministro Joaquim Barbosa. "O julgamento vai entrar para a história. Daqui para a frente os políticos vão pensar antes de roubar o dinheiro público", enfatizou Castro.

Veja também