Menu
Busca quinta, 04 de junho de 2020
Gov - Compre de Casa
Política

Maioria: bancada do MS é a favor da MP da liberdade econômica

O texto base foi aprovado na terça-feira e segue para nova discussão

14 agosto 2019 - 15h00Por Rayani Santa Cruz

A maior parte da bancada federal de Mato grosso do Sul concorda com a Medida Provisória da liberdade econômica proposta pelo presidente Jair Bolsonaro (PSL). O texto base que modifica algumas regras de direito empresarial, administrativo, trabalhista e civil, foi aprovado na terça-feira (13) por 345 votos a favor e 76 contra.

Dentre os deputados de MS: Fabio Trad (PSD), Rose Modesto (PSDB), Bia Cavassa (PSDB), Beto Pereira (PSDB), Tio Trutis (PSL), e Doutor Luiz Ovando (PSL) são a favor da medida.

Nesta quarta-feira (14), os deputados devem analisar os destaques para concluir a votação, e de acordo com Fábio Trad, o texto deve passar sem grandes alterações.  “Eu votei a favor, por três motivos: desburocratizar o ambiente de negócios, combater o desemprego e aquecer o consumo melhorando a economia”.

Para Beto Pereira, a flexibilização do ambiente de trabalho, a inelegibilidade de relógio de ponto a empresas com até 20 empregados, a Carteira de Trabalho Eletrônica são pontos importantes para auxiliar o pequeno empreendedor.

“A proposta é fazer com que haja uma relação acordada entre empregado e empregador, não terá prejuízos ao trabalhador”, disse.

Para Trad, houve alterações que minimizaram eventuais prejuízos aos trabalhadores. Ele explicou que a questão relacionada aos domingos, o trabalhador não perde o direito ao descanso semanal remunerado, desde que, ele opte pelo dia que ele irá descansar. “É uma forma de você dar ao trabalhador uma opção de escolha”.

O que muda segundo os dois parlamentares é a desburocratização e flexibilização, dando mais chances aos empresariado e ao colaborador. 

Contra a MP, o deputado Vander Loubet emitiu nota dizendo que a posição é a mesma que a bancada do PT. “ Entendemos que são pontos que, mais uma vez, prejudicam os trabalhadores, representam retrocessos trabalhistas (como é o caso do fim da folga semanal aos domingos e do pagamento adicional de 100%). Essa MP também prejudica a recuperação de dívidas devidas por empregadores a funcionários, pois define que só o patrimônio social da empresa poderá responder pelas dívidas junto aos trabalhadores, e não mais o patrimônio do proprietário da empresa”.

Após a aprovação dos destaques caberá ao Senado discutir e aprovar a medida.

Entenda:

Por meio da MP da Liberdade Econômica, haverá a alteração da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) , Lei de Introdução às Normas do Direito Brasileiro e Código Civil.

A proposta prevê critérios para a adoção de registro de ponto, visa estabelecer a carteira de trabalho eletrônica, define novas regras para trabalho aos domingos e prevê reduzir a burocracia entre empresas e funcionários. 

Leia Também

NÃO VAI TER FIM? Brasileiros mortos pela covid-19 já chegam a 34.021
Geral
NÃO VAI TER FIM? Brasileiros mortos pela covid-19 já chegam a 34.021
Registro mostra que PM foi imparcial em ocorrência com tiro de Guarda Municipal
Cidade Morena
Registro mostra que PM foi imparcial em ocorrência com tiro de Guarda Municipal
Estudo que demonizava cloroquina é falho e autores tiram texto de site
Geral
Estudo que demonizava cloroquina é falho e autores tiram texto de site
VÍDEO: Weintraub entrega depoimento no inquérito do 'Flango' e sai carregado por apoiadores
Geral
VÍDEO: Weintraub entrega depoimento no inquérito do 'Flango' e sai carregado por apoiadores