TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
sexta, 12 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
SENAI SUPER BANNER JULHO E AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Política

Marquinhos pede R$ 50 milhões em Brasília e só recebe promessas: 'somos torcedores'

Prefeito levou programa de drenagem para cidade, afetada por seguidas chuvas

28 março 2019 - 19h00Por Celso Bejarano, de Brasília

O prefeito de Campo Grande, Marquinhos Trad (PSD), entregou o programa de intervenções emergenciais em drenagem urbana, obras que custam R$ 50 milhões, disse, ao Ministério de Desenvolvimento Regional, em Brasília, nesta quarta-feira (27). Contudo, revelou o prefeito, ao invés do dinheiro, ele retorna à Cidade Morena levando na mala “só esperança e promessa”.

Marquinhos afirmou que o governo de Jair Bolsonaro (PSL) condicionou a liberação do dinheiro à aprovação da reforma da Previdência, em curso no Congresso Nacional.

Perguntado se a manobra de Bolsonaro seria uma espécie de “chantagem”, o prefeito campo-grandense suavizou: “chantagem, não, porque isso seria crime. É uma tática”.

Marquinhos disse ainda que o programa de drenagem exige - e logo - uma “intervenção técnica, séria, profunda e complexa”.

Do contrário, segundo o prefeito, “novas chuvas vão provocar transtornos materiais e até mortes de seres humanos”.

A drenagem emergencial apresentada por Marquinhos, segundo ele, exige a construção de seis bacias de amortecimento “devidamente situadas pelos técnicos”. Essas obras teriam de ser efetuadas nas regiões dos córregos prosa, segredo e anhanduizinho.

Depois de sair da audiência no ministério de Desenvolvimento, Marquinhos foi ao gabinete do irmão, o senador Nelsinho Trad (PSD). Lá, ele pediu apoio da bancada federal para a liberação do recurso.

Estiveram no encontro os deputados federais Fábio Trad, Bia Cavassa, Rose Modesto, Dagoberto Nogueira, Beto Pereira, Luiz Ovando e Vander Loubet.

O senador Nelson Trad, a senador Soraya Thronick e ainda a ministra da Agricultura Tereza Cristina, também participaram do diálogo.

Marquinhos disse ter conquistado o apoio da bancada.

Filosofada

“O município está assistindo a uma partida de futebol e vendo o que os jogadores vão protagonizar dentro de campo. E, como resultado, o município, que é o torcedor, vai sair chorando ou sorrindo”, disse o prefeito acerca da imposição do governo federal em liberar recursos somente depois da aprovação da reforma administrativa.