Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Ministro mantém prisão de Delcídio e banqueiro ganha medida restritiva

17 dezembro 2015 - 13h29Por g1

O ministro Teori Zavascki, relator da Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF), decidiu nesta quinta-feira (17), manter a prisão do ex-líder do governo no Senado Delcídio do Amaral (PT/MS) e conceder medida restritiva ao banqueiro André Esteves. Também foi mantida a prisão de Diogo Ferreira, chefe de gabinete de Delcídio.

Os três foram presos em 25 de novembro acusados de tentar atrapalhar as investigações do esquema de corrupção que atuava na Petrobras. Eles foram denunciados pela Procuradoria Geral da República (PGR) pelo crime de impedir e embaraçar as investigação de infrações penais que envolvem organização criminosa, com pena de 3 a 8 anos, e patrocínio infiel, 6 meses a 3 anos, quando o advogado trai o interesse de seu cliente.

O senador Delcídio do Amaral e o chefe de gabinete também são acusados de exploração de prestígio, com penas de 1 a 5 anos. O advogado Antônio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, responsável pela defesa de André Esteves afirmou que, na decisão, o ministro não via mais razões para manter Esteves na prisão porque a denúncia contra ele já foi oferecida e porque não foram encontrados documentos na casa do banqueiro, no Rio de Janeiro, durante operação de busca e apreensão da Polícia Federal.