tce janeiro
Menu
quinta, 27 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Mochi anuncia reforma na ALMS e cogita canal aberto para transmitir sessões

16 dezembro 2015 - 15h30Por Dany Nascimento

O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul, deputado estadual Junior Mochi (PMDB) afirmou que  muitos projetos devem ser implementados pela Casa, que deve iniciar um novo ano como 'pé direito'.

A primeira novidade que o presidente destacou foi a possibilidade da Casa transmitir as sessões através de um canal aberto, para que toda a população tenha acesso direto aos trabalhos  realizados durante as sessões ordinárias.  Mochi ressalta que acredita que na volta do recesso parlamentar, no dia 2 de fevereiro, o canal aberto já tenha sido instalado.

De acordo com o presidente, uma parte da Casa será reformada através de um convênio que será firmado com a Agesul, mas não informa muitos detalhes da obra e garante que fará o anunciamento nos próximos dias.

"Teremos uma reforma na Assembleia, uma parte queremos fazer agora, estamos discutindo com Agesul para verificar essa possibilidade. A Casa não quer ela licitar essa reforma, preferimos fazer um convênio com Agesul que tem expertise de fazer isso, eles deve fazer a licitação  e o acompanhamento para tirar esse cargo da Assembleia", explica o deputado.

Além disso, Junior Mochi ressalta que um concurso será realizado pela Casa de Leis no ano que vem e o edital será divulgado nos próximos dias. "Estamos com cronograma pré-estabelecidos, vamos divulgar o edital daqui uns dias para contratação da empresa via licitação. A empresa será responsável pela organização e realização do concurso público que deve acontecer, se não ocorrer nenhum problema jurídico, não havendo impugnações, no mês de abril".

O peemedebista afirma ainda, que 2015 deve ser considerado um ano de aprendizado em meio a uma crise financeira que toma conta do país e ressalta que o diálogo foi estabelecido."Foi ano de aprendizado para nós, especialmente da mesa diretora, para mim de modo especial como presidente por conduzir poder legislativo em um ano tão difícil como este, ano que preponderou o entendimento e o diálogo. O fato de instalar o colégio de líderes nos permitiu que nossas discussões fossem menos acaloradas, mas passamos a discutir mais internamente, estabelecer consenso para um caminho mais tranquilo".