TCE MAIO
TJMS MAIO
Menu
terça, 24 de maio de 2022 Campo Grande/MS
TOP MIDIA INSTITUCIONAL SUPER BANNER
Política

Diante do poder, futura ministra ameaça tirar o Brasil do Mercosul

Acordo com países sul-americanos desfavorecem o país

21 novembro 2018 - 12h05Por Rodson Willyams

A deputada federal Tereza Cristina (DEM), indicada para ocupar o Ministério da Agricultura, em entrevista ao jornal O Globo, disse que o Brasil precisa rever suas ações para o Mercosul, e caso, não seja vantajoso, defende que o país deixe o grupo e busque acordos melhores isoladamente.

Ao ser questionada pela publicação carioca sobre o Mercosul, a parlamentar de Mato Grosso do Sul informou que o Mercosul para o Brasil é desigual. "Principalmente para os produtos da agropecuária. Estamos com problemas por causa do leite, que entra no país e causa prejuízos, principalmente para os pequenos produtores. Tem também o problema do arroz, que é seríssimo".

"O mundo hoje é muito rápido e dinâmico. Está na hora de sentar e rever o Mercosul. Sem deixar o protagonismo do Brasil e sem deixar de ter esse relacionamento com os nossos vizinhos, mas fazendo um acordo, talvez, mais moderno e melhor", continua.

Quando perguntada se a mudança no acordo poderia ser por meio das alíquotas, Tereza afirmou que sim. "Com certeza. A gente precisa sentar e ver os interesses. Ou o Brasil tenta fortalecer o Mercosul e dizer o que quer, ou então ele sai, num caso extremo. Mas não deve continuar como está. É desvantajoso para nós".

Outro ponto que a parlamentar ainda defende é quanto a permeância no Acordo de Paris. "Sou a favor. O Brasil cumpre quase tudo do Acordo de Paris".