(67) 99826-0686
Origem - entregas

Em clima de despedida, vereadores fazem balanço da gestão e criticam Bernal

Para parlamentares, administração conturbada serviu de aprendizagem para políticos e população

20 DEZ 2016
Dany Nascimento
13h28min
Foto: Geovanni Gomes

Em ritmo de despedida na Câmara Municipal, os vereadores relembram a 'turbulência' da legislatura e atribuem o caos que a cidade enfrenta ao prefeito  Alcides Bernal (PP). Para o vereador Alex do PT, que chegou a ser nomeado líder do pepista, mas acabou desistindo por não conseguir se entender com o Chefe do Executivo, se tratava de uma missão impossível.

"Eu tentei, tentei ajudar a cidade, busquei uma boa relação entre o prefeito e a Casa, mas não consegui. Eu busquei algo impossível na gestão do Alcides Bernal. Foi uma legislatura muito difícil e quem acabou pagando foi a população. Foram quatro anos polêmicos, tivemos manifestações importantes, mas foi um ano conturbado para Campo Grande", diz o petista.

Alex destaca que o prefeito eleito Marquinhos Trad (PSD) já tomou atitudes diferentes do 'complicado' Bernal, demonstrando que pretende ser ágil nas decisões, mas ressalta que não tem pretensão de buscar espaço na nova gestão. "O Marquinhos demonstrou agilidade, já disse quem será seu líder, já nomeou equipe, ele está demonstrando que quer ser diferente e isso é muito importante. O Bernal ficou enrolando, coisas que ele poderia resolver rapidamente", afirma o vereador, que deixa a Casa de Leis.

Indicado para ser o líder do novo prefeito, o vereador Chiquinho Telles (PSD) acredita que a briga entre os poderes aconteceu pela falta de 'credibilidade' de Alcides Bernal e destaca que a Capital terá novos momentos. "Os quatro anos foram muito conturbados pela falta de credibilidade do prefeito Alcides Bernal, ninguém gosta de trabalhar para quem não paga. Marquinhos tem credibilidade e vai demonstrar isso para a população".

Eleito para cumprir o segundo mandato como vereador, Eduardo Romero (Rede) concorda com os colegas e destaca que os parlamentares tiveram que rever algumas situações, diante da discordância da população. "Foi uma legislatura difícil, mas temos que considerar a participação da população, que fez com que certos pontos fossem revistos, demonstrando total participação nos assuntos ligados à Capital".

Já o vereador Mário César (PMDB), que renunciou ao cargo de presidente da Câmara Municipal, disse que aprendeu muito em quatro anos de mandato e afirma que Bernal recebeu a Máquina Pública organizada e entrega quebrada.

"Considero a legislatura de muita aprendizagem, mandato conturbado, com muitas mudanças e todo processo de mudança é difícil, tanto para o lado negativo como para o lado positivo, mas hoje percebemos a participação da população nos assuntos ligados a Capital e isso é muito bom. Tivemos um Executivo desastroso, que pegou a prefeitura organizada e agora vai entregar quebrada. Considero o mandato conturbado, mas lúdico", diz o peemedebista que não tentou se reeleger em 2016.

Veja também