TJMS AGOSTO 2022
TOP MIDIA INSTITUCIONAL
Menu
segunda, 08 de agosto de 2022 Campo Grande/MS
SENAI SUPER BANNER JULHO E AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
SENAI MOBILE JULHO AGOSTO 2022
Política

Novela: em 3 anos CPI da Energisa já teve ação judicial, troca de laboratório e paralisação

Agora, deputados tentam finalizar investigações antes de terminar os mandatos

03 maio 2022 - 11h31Por Rayani Santa Cruz

Três anos após ser aprovada, a CPI da Energisa da Assembleia Legislativa, teve o trabalho interrompido por ação judicial, paralisação por conta da pandemia, troca de laboratório e finalmente pode ser concluída. Os deputados Felipe Orro (PSD) e Capitão Contar (PRTB) querem concluir as investigações antes de terminarem seus mandatos. 

A CPI da Energisa, tornou-se quase que uma "novela", já que não andou por dois anos por conta das restrições da pandemia da Covid-19. Antes disso, a Energisa conseguiu mandado de segurança na Justiça para barrar as investigações e a CPI recorreu obtendo êxito.  O último problema foi em relação ao laboratório da USP- São Carlos, que desistiu de realizar a aferição de 93 relógios recolhidos alegando que estava com muitos projetos e não teria tempo.

Com isso, a solicitou a Escola Politécnica (Poli) da USP, também acreditada pelo Inmetro para fazer as aferições. A intenção inicial era recolher 200 medidores para aferição. A escolha dos relógios foi realizada via sorteio entre 3 mil reclamações ao Procon-MS. 

Segundo a comissão, o restante dos relógios devem ser recolhidos nos próximos dias, mediante notificação da Energisa.

O que dizem os deputados?

 

O relator da CPI da Energisa, deputado Capitão Contar disse que os próximos passos da comissão serão retomar e finalizar a coleta dos relógios que serão enviados para a Poli da USP, que realizará a aferição dos equipamentos. Para isso, a comissão está elaborando um cronograma de trabalho que será divulgado em breve. 

"Estamos ansiosos para retomar e concluir os trabalhos da CPI, respondendo aos inúmeros questionamentos da população. Foram muitos os contratempos e obstáculos que enfrentamos, mas estou confiante que nada mais vai nos impedir de ir a fundo nessa investigação", declarou Capitão Contar, relator da CPI.

Já o presidente, deputado Felipe Orro disse que a primeira sessão extraordinária da CPI que acontece nesta terça-feira (3). “Tenho certeza de que vamos conseguir dar explicações aos nossos consumidores sul-mato-grossenses, insatisfeitos com as tarifas exorbitantes praticadas pela Energisa em nosso Estado”.