Menu
quinta, 24 de setembro de 2020
Política

Projeto que proíbe canudos e copos plásticos trava para avaliação dos prejuízos para o comércio

Autor do PL afirma que Campo Grande precisa tomar medida urgente pelo Meio Ambiente

14 abril 2019 - 13h30Por Rodson Willyams

Para o vereador Francisco Veterinário (PSB), Campo Grande 'perde tempo' ao não restringir o uso de canudos plásticos. O projeto inicial n°598, que propõe a proibição, tramita desde 2018 na Câmara Municipal, porém segue parado nas comissões. É necessário realizar um estudo do impacto financeiro para o comércio, antes de dar continuidade ao texto.

Recentemente, emenda incluiu ainda a restrição de uso de copos descartáveis na proposta. "Esse projeto está parado nas comissões da Câmara para ver o impacto econômico quanto à restrição, mas acredito que estamos perdendo tempo. Nós fomos os primeiros no país a entrar com esse projeto, no entanto, agora ele já existe em outras capitais e cidades do interior do país", explica.

Ele destaca ainda a ampliação do projeto. "Propusemos uma emenda ao nosso projeto inicial, onde acrescenta, além da proibição dos canudos, também dos copos descartáveis de plástico comum. Essa ação já existe em diversas capitais e Campo Grande precisa começar a ter ações neste sentido de preservação e mudança de hábitos".

A preocupação ambiental é grande, por isso a inclusão dos copos plásticos. "O copo descartado irregularmente vira criadouro do mosquito da dengue e demora mais de 200 anos para se degradar. Além disso, é inviável financeiramente a reciclagem do copo", diz o vereador.

Veterinário Francisco cobra celeridade na tramitação do projeto - Foto: Wesley Ortiz

Projeto em tramitação

Em tramitação na Casa de Leis desde agosto de 2018, o projeto já tem parecer favorável da Procuradoria Jurídica da Câmara e agora passa pelas comissões: Legislação, Justiça e Redação Final; Saúde; Defesa do Consumidor; Indústria e Comércio e, por fim, Meio Ambiente.

Membro da Comissão de Saúde da Câmara, o vereador Hederson Fritz (PSD) diz ser a favor do projeto. "Mas não agora. Os comerciantes não estão prontos para essa questão. O município precisa dar melhor destino [para descartes dos materiais]".

Fritz pondera para avaliação do impacto econômico do projeto - Foto: Wesley Ortiz

Outro a comentar é o vereador Papy (SD), que preside a Comissão de Defesa do Consumidor. "É uma iniciativa mundial, precisamos mudar a cultura de usar esses produtos que são extremamente danosos ao meio ambiente. Não vejo que para o consumidor isso trará prejuízos, ele pode consumir os seus produtos sem ser prejudicado. O direito ao meio ambiente é superior ao direito do consumidor. Nós precisamos quebrar paradigmas e essa mania de usar o canudo para tudo. Sou a favorável a essa projeto, o meio ambiente é mais importante".

Papy apoia projeto em prol do meio ambiente - Foto: Wesley Ortiz

Francisco ainda afirma que segue conversando com os demais pares. "Estamos trabalhando junto com os colegas vereadores conscientizando dessa necessidade de ações práticas para preservar o meio ambiente e a saúde da população".

E finaliza: "nós estamos perdendo tempo". "Não vai ser impacto nenhum se pensarmos que nossos filhos e netos sofrerão as consequências no futuro com a poluição. Isso é apenas uma questão de tempo, se nada for feito".

Leia Também

Relator da PEC da 2ª instância, Fábio Trad lamenta: 'não há articulação para aprovar o texto'
Política
Relator da PEC da 2ª instância, Fábio Trad lamenta: 'não há articulação para aprovar o texto'
Obstetra envolvida em morte de Sheyza dá caminhão como fiança e fica solta
Interior
Obstetra envolvida em morte de Sheyza dá caminhão como fiança e fica solta
Baleado na mão e no tórax, vítima do falso frete segue estável em UPA
Cidade Morena
Baleado na mão e no tórax, vítima do falso frete segue estável em UPA
Usuário de drogas é morto com tiro no pescoço no Itamaracá
Polícia
Usuário de drogas é morto com tiro no pescoço no Itamaracá