Menu
segunda, 17 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

Para voltar, Mario Cesar usa decisão do desembargador Bonassini

10 outubro 2015 - 11h28Por Dany Nascimento

O novo pedido ingressado pelo vereador e presidente afastado da Câmara Municipal de Campo Grande, Mario Cesar (PMDB), no Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, foi feito com base na decisão do desembargador Luiz Claudio Bonassini, que indeferiu na semana passada, o pedido de afastamento dos 17 vereadores que votaram pela cassação de Alcides Bernal (PP) em março de 2014.

De acordo com o advogado de Mario, Leonardo Saad, o pedido solicita o retorno do peemedebista pelo menos como vereador na Casa, já que outros investigados pela Operação Coffee Break continuam ocupando seus respectivos cargos.

"Entramos com esse pedido porque não existem elementos para o afastamento público de Mario Cesar. Entramos com esse pedido considerando que o desembargador Bonassini indeferiu o pedido de afastamento dos vereadores, portanto, Mario Cesar deve ser reconduzido ao cargo de vereador", disse o advogado.

Saad destaca que a análise do terceiro agravo de instrumento, que será feita pelo desembargador Romero Osme Dias Lopes, foi marcada para o dia 21 de outubro. O agravo estava previsto para ser julgado em setembro, mas devido as férias do desembargador, foi adiada e acontece neste mês.

Segundo Saad, o desembargador pode analisar o documento e deferir o pedido antes mesmo do julgamento do agravo. Questionado sobre a possibilidade de Mario renunciar ao cargo, já que rumores nos bastidores da Câmara já dão como certa a renúncia, o advogado garante que Mario não pensa em renúncia e aguarda a decisão da Justiça para voltar a legislar.