TCE MAIO
(67) 99826-0686
PMCG - Prestação de contas

Pedra analisa estratégias e diz que não será o único a deixar o PDT na Capital

Vereador cassado aguarda conversa com Bernal para migrar para o Partido Progressista

15 NOV 2016
Dany Nascimento
11h30min
Foto: André de Abreu

Considerado 'braço direito' do prefeito Alcides Bernal (PP), o ex-secretário de governo da gestão pepista, Paulo Pedra afirmou ao TopMídiaNews que não tem pressa de deixar o PDT, mesmo vivenciando clima de tensão com o presidente Dagoberto Nogueira (PDT). 

Pedra destaca que continua com intenção de migrar para o Partido Progressista e avisa que não vai sozinho, levará outros membros do PDT. "Eu ainda continuo filiado ao PDT, mas estou praticamente fora do partido. Minha intenção continua sendo me filiar ao PP, mas ainda vou verificar quem vai migrar comigo, porque não estou sozinho nessa, muitas pessoas estão descontentes com o presidente Dagoberto Nogueira e pretendem mudar de sigla".

Questionado sobre a demora para deixar o PDT, Paulo ressalta que mesmo dialogando todos os dias com Alcides Bernal, ainda não tem previsão para ter um diálogo com o Chefe do Executivo sobre as estratégias antes de fazer a transição.

"Ainda vamos sentar e conversar, eu falo com o Bernal todos os dias, mas sobre esse assunto ainda não conversamos, preciso sentar com ele para ver as estratégias e quem realmente vem comigo", afirma Paulo Pedra.

Após ter o mandato de vereador cassado pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral), por compra de votos, Pedra tentou emplacar candidatura para voltar à Casa de Leis, já que está recorrendo da decisão, mas foi 'barrado' pelo partido e deu início a uma 'queda de braço' com Dagoberto Nogueira.

Paulo afirmou que Dagoberto seria um 'traidor' e estaria tomando decisões sem consultar os membros do partido. Diante disso, Pedra anunciou que deixaria o partido com a conclusão das eleições e aguarda para abandonar o PDT.

Veja também