Menu
terça, 07 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
pmcg revia negocios
Política

Pedro Chaves não participa da sessão de abertura de impeachment de Dilma

11 maio 2016 - 11h15Por Rodson Willyams

O suplente do ex-senador cassado Delcídio do Amaral, empresário Pedro Chaves, do PSC, não deve votar nesta quarta-feira (11) no processo de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff, do PT, no Senado. Chaves só deve ser empossado nesta quinta-feira (12) e, portanto, fica de fora da sessão de hoje (11).

O fato de Chaves estar ausente na sessão favorece a grupo pró-Dilma favoráveis à cassação. Pelo menos 2 dos 81 senadores não vão votar na sessão de abertura do processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff programada para hoje. Com Pedro Chaves, o número salta para três.

Além do empresário, o senador Eduardo Braga (PMDB-­AM), que está de licença não deve votar. A senadora Rose de Freitas (PMDB­-ES) está com problemas de saúde desde a semana passada e pode não comparecer. Ela passou mal na última quarta (4), quando o processo contra Dilma foi analisado na comissão especial do impeachment. Ainda não é possível saber quantos senadores não votarão na sessão de hoje.

De acordo com a Folha de S. Paulo, até às 10h25 desta quarta, 53 dos 81 congressistas haviam registrado presença. Bastam os votos da maioria simples dos presentes ao plenário no momento da apreciação para que o processo seja aberto e a presidente seja afastada por até 180 dias.

Suplente

Pedro Chaves assume a vaga de Delcídio do Amaral que teve o mandado cassado na noite de ontem (10), sendo o terceiro senador da República a ser cassado no país. Ao todo 74 parlamentares votaram favoráveis a cassação e nenhum contra.