TCE Novembro
Menu
terça, 30 de novembro de 2021 Campo Grande/MS
ALMS - NOVEMBRO
Política

Pela terceira vez, Câmara tenta votar eleição à Mesa Diretora neste domingo

A primeira sessão para tentar decidir o comando do legislativo foi realizada na sexta-feira

09 dezembro 2018 - 10h32Por Dourados News

Neste domingo (9), às 14h, a Casa de Leis douradense tenta pela terceira vez a eleição à Mesa Diretora do biênio 2019/2020. O fato se dá pela ausência insistente de oito dos 16 vereadores que sobraram na Câmara após as prisões deflagradas pelo Ministério Público na semana passada. 

Um dos presos, Pedro Pepa (DEM), concorre à presidência da Casa com Alan Guedes (DEM). 

A primeira sessão para tentar decidir o comando do legislativo foi realizada na tarde de sexta-feira (7) onde sem justificativa, oito parlamentares se ausentaram, impedindo que a votação fosse realizada por falta de quórum. O número mínimo de vereadores para votar é 10.

O processo foi passado para a tarde de sábado (8) e novamente os oito — Júnior Rodrigues (PR), Silas Zanata (PPS), Bebeto (PR), Jânio Miguel (PR), Juarez de Oliveira (MDB), Carlito do Gás (Ptriota), Cido Medeiros (DEM) e Romualdo Ramim (PDT) — "sumiram" do pleito.

Justificativa 

Momentos depois do encerramento da sessão de sexta-feira, o grupo de ausentes encaminhou nota à imprensa explicando os motivos do boicote em massa à eleição da Mesa Diretora.  .

No documento, assinado por todos os integrantes, eles argumentam ter ficado ‘assombrados’ com a direção da Casa, que, segundo os parlamentares, "simplesmente retardou a resposta ao requerimento de substituição dos membros da chapa Legislativo Forte como instrumento de manipulação oblíqua e ostensiva do processo eleitoral em questão”, diz. 

A situação refere-se a tentativa do grupo de trocar os nomes dos vereadores Pedro Pepa (DEM) e Cirilo Ramão (MDB), candidatos a presidente e segundo secretário, presos, por Bebeto (PR) e Jânio Miguel (PR), respectivamente. 

A respeito do caso, o departamento jurídico da Casa deu o parecer que foi lido neste sábado, alegando a impossibilidade de mudança e  indeferindo o pedido. 

O prazo para os registros de chapa, conforme o regimento interno, é de até 48h antes do pleito, o que ocorreu.  

Em outro posicionamento, o grupo cita a não convocação de Maurício Lemes (PSB) para a posse como suplente de Idenor Machado (PSDB), outro legislador preso na quarta-feira, que na quinta pediu afastamento do cargo por 32 dias. 

Como argumentação eles alegam o fato da vereadora Lia Nogueira (PR) ter sido empossada horas após o pedido de afastamento de Denize Portollan (PR), no Presídio Feminino de Rio Brilhante desde a Operação Pregão, desencadeada em 31 de outubro.

Maurício seria mais um nome da base aliada da prefeita Délia Razuk (PR) e poderia dar o voto 'salvador' a Pedro Pepa num possível empate entre as duas chapas.  

Ele deve tomar posse na segunda-feira.