GOV AGEMS
Menu
quarta, 08 de dezembro de 2021 Campo Grande/MS
CAMARA - vacinaçao
Política

Petistas são liberados no 2º turno e até deputado está em dúvida sobre próprio voto em MS

'Nem eu sei em quem votar agora. Digo isso a quem me perguntar', declarou

17 outubro 2018 - 15h10Por Diana Christie e Celso Bejarano

Após a derrota do candidato Humberto Amaducci (PT), que concorreu ao governo do Estado, os petistas foram liberados pela legenda para apoiar o nome que mais combine com suas preferências em Mato Grosso do Sul. Isso significa que os filiados podem se aliar tanto a Reinaldo Azambuja (PSDB) quanto a Odilon de Oliveira (PDT).

Segundo o deputado estadual Cabo Almi (PT), o partido tomou essa decisão de liberar o apoio porque ambos os candidatos ao governo optaram por Jair Bolsonaro (PSL), adversário direto de Fernando Haddad (PT) nas eleições presidenciais. Assim, até mesmo ele que possui a vida profissional voltada para a política, confessa estar em dúvida.

"Nem eu sei em quem votar agora. Digo isso a quem me perguntar em quem votar no dia da eleição", revela Cabo Almi, que participa de sessão legislativa na manhã desta quarta-feira (17), no Palácio Guaicurus.

Eleições

Candidato do PT em Mato Grosso do Sul, Humberto Amaducci garantiu 132.638 votos, o equivalente a 10,26% do total, ficando em quarto lugar na disputa, atrás de Junior Mochi (MDB), Odilon de Oliveira e Reinaldo Azambuja. No Estado, Haddad faturou 333.407 votos, atrás do 1º colocado, Jair Bolsonaro, com  769.116 votos.