(67) 99826-0686

PMDB espera atitudes do prefeito antes de tomar decisão

Aliança

31 DEZ 2013
Lucas Arruda
11h28min
Foto: Geovanni Gomes

Depois de um ano conturbado entre o legislativo e o Executivo Municipal, o prefeito Alcides Bernal (PP) declarou ontem durante a posse dos novos secretários do governo, que pretende fazer uma política de coalisão no próximo ano, convidando até o PMDB para se aliarem à sua base.

No entanto, o presidente regional do partido, o deputado estadual Junior Moch (PMDB)i, alega que não aceitará convites feitos em discursos e que espera atitudes concretas do prefeito e convite formal, que ainda não foi feito em sua gestão.

"Nós vamos avaliar na medida que se concretize as atitudes dele, no momento eu me eximo de uma decisão do partido, mesmo porque até o momento não houve nenhuma conversa partidária dele (prefeito) com a gente", argumentou Mochi.

Oposição - Ontem o vereador Dr. Jamal (PR) anunciou que fará parte da base aliada de Bernal na Câmara Municipal. Sua colega de partido, a vereadora Grazielle Machado, declarou que isso foi uma decisão isolada do companheiro.

"Não existe um entendimento do partido para se aliar ao prefeito neste momento, mas não é um confronto com a ideologia de nosso partido. Pessoalmente, acredito que se estivermos todos unidos, ficamos mais forte, agora se ele tomou uma decisão sozinho ele se isola", afirmou.

Para o vereador Eduardo Romero (PT do B) a aliança deveria ter sido feita desde o início do ano, quando o prefeito assumiu o mandato. "Não tem como administrar uma cidade sem ter aliados, mas nunca é tarde para isso", declarou.

Mas ainda não houve conversas entre o prefeito e o PT do B. Romero frisou que se os três vereadores do partido forem convidados a integrarem a base aliada do prefeito, irão avaliar o que é melhor para Campo Grande. "Espero que no próximo ano trabalhemos mais em conjunto", finalizou.

Veja também