TJMS JANEIRO
Menu
domingo, 23 de janeiro de 2022 Campo Grande/MS
Política

População confia em permanência de Bernal no cargo, aponta enquete

08 setembro 2015 - 08h59Por Rodson Willyams

O prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal, do PP, está há 12 dias a frente da prefeitura e já enfrenta muitos desafios para conseguir terminar o mandato político e conseguir resolver a crise política no prazo 1 ano e meio que possuiu de governo. Da mesma forma como Bernal conseguiu ser reconduzido ao cargo por meio da Justiça, outros entraves judiciais podem mudar o cenário administrativo municipal de Campo Grande, caso o prefeito afastado Gilmar Olarte, do PP, consiga reverter a situação.

Diante da instabilidade política que a Capital passa no momento, o TopMídia News revolveu fazer a seguinte pergunta aos leitores. "Você acredita que vão conseguir derrubar novamente Alcides Bernal do cargo de Prefeito de Campo Grande"?

Com toda essa polêmica envolvendo prefeito Alcides Bernal, os nossos leitores participaram da enquete e votaram. 74% dos participantes disseram que não tem como conseguir derrubar Bernal novamente do cargo de prefeito da Capital. E 26% disse que o prefeito corre o risco de ser afastado novamente.

 

Possibilidade de afastamento

Pelo menos, pela Câmara Municipal, os vereadores declararam uma 'trégua' para que Bernal pudesse governar sem sofrer retaliações. Porém, o presidente interino da Casa de Leis, Flávio César, do PT do B, assim que assumiu o comando do Legislativo, após o presidente Mario Cesar, do PMDB ser afastado pela justiça de suas atividades, chegou a comentar que iria tentar reverter a situação por vias judiciais, mas após a visita do chefe do Executivo, no mesmo dia da declaração, o discurso mudou de tom. Até ex-rivais políticos que tiveram papeis fundamentais pela cassação de Bernal mudaram o diálogo e prometeram cooperar o com o prefeito.

Na Casa de Leis tramita um requerimento protocolado pelo pecuarista Luiz Pedro Guimarães, um dos responsáveis que apresentou requerimento para o impeachment  de Alcides Bernal da primeira vez e o que levou à sua cassação,  apresentou um novo pedido, desta vez, pela vacância do cargo de prefeito. A alegação seria que ao se candidatar ao Senado na última eleição, Bernal teria renunciado a prefeitura de 'forma tácita' à prefeitura.

O caso segue sob análise da Procuradoria-Geral da Casa de Leis, mas o prazo de cinco dias já expirou e um parecer deve ser emitido sobre o assunto em breve no próximos dias, considerando que os prazos regimentais não são mais respeitados na Câmara Municipal de Campo Grande.