Menu
sexta, 07 de agosto de 2020
Linha de frente - compet
Política

PP nacional pressiona e Chocolate fica no partido

Quase fora

31 outubro 2013 - 13h38Por Juliene Katayama

O vereador Chocolate (PP) quase foi expulso do PP depois de ter votado pela abertura da Comissão Processante contra o prefeito de Campo Grande, Alcides Bernal (PP). Ele foi notificado pelo diretório municipal do partido e já estava providenciando sua defesa quando foi avisado da sua permanência.

O pedido de expulsão foi assinado por Tamotsu Mori (PP) como autor da ação e outros dois filiados. O partido exige a adesão de três filiados para proceder o pedido de expulsão. No entanto, Mori teria assinado sem saber de que tratava da expulsão de Chocolate.


O pedido não apresentava provas suficientes para assegurar o pedido de expulsão de Chocolate já que ele estava exercendo sua atividade parlamentar. Para votar, o vereador disse que estava querendo a investigação dos fatos apresentados.


Depois do pedido da nacional, o PP municipal retirou o pedido de expulsão. Apesar da notificação da expulsão, Chocolate declarou que não tinha intenção de deixar o partido, a menos que fosse obrigado.


Motivo - A expulsão de Chocolate foi baseado no voto contra o prefeito da Capital, que também é presidente regional do PP. O vereador foi favorável à abertura da Comissão Processante para investigar atos do Chefe do Executivo em contratos de emergência, falta de pagamentos entre outras irregularidades constatadas pela CPI da Inadimplência.

Leia Também

Trabalhadores se unem em protesto em defesa da vida e dos empregos em Campo Grande
Cidades
Trabalhadores se unem em protesto em defesa da vida e dos empregos em Campo Grande
Começa audiência que vai decidir sobre lockdown em Campo Grande; prefeitura é contra
Cidade Morena
Começa audiência que vai decidir sobre lockdown em Campo Grande; prefeitura é contra
Para ter acesso à vacina contra a covid-19, Brasil pagará R$ 1,3 bilhão a laboratório inglês
CORONAVÍRUS
Para ter acesso à vacina contra a covid-19, Brasil pagará R$ 1,3 bilhão a laboratório inglês
Departamento de repressão à corrupção e ao crime organizado é criado em MS
Cidades
Departamento de repressão à corrupção e ao crime organizado é criado em MS