(67) 99826-0686

Prestações de contas de campanha de 15 vereadores caem no ‘pente fino’ da Justiça

Os políticos foram notificados para prestar esclarecimentos em até 72 horas

7 NOV 2016
Diana Christie
19h00min
Foto: Geovanni Gomes/André de Abreu/Reprodução

A Justiça Eleitoral identificou irregularidades na prestação de contas de campanha de 15 vereadores de Campo Grande, entre parlamentares com mandato e eleitos para a próxima Legislatura. Os políticos foram notificados para prestar esclarecimentos em até 72 horas, sob pena de preclusão, que ocorre quando a pessoa é julgada mesmo sem exercer seu direito de apresentar defesa.

Na lista aparecem os vereadores eleitos Wellington de Oliveira (PSDB), Dharleng Campos de Oliveira (PP), Loester Nunes de Oliveira (PMDB), Maria Aparecida de Oliveira Amaral, a enfermeira Cida (PTN), Luiz Carlos Correia de Lima, o Lucas do Amor Sem Fim (SD), Antonio Ferreira da Cruz Filho (PSDB), Valdir João Gomes de Oliveira (PP) e William Maksoud Neto (PSDB).

Entre os parlamentares reeleitos estão Carlos Augusto Borges, o Carlão (PSB), Eduardo Pereira Romero (Rede), Roberto Santana dos Santos, o Betinho (PRB), Paulo Siufi Neto (PMDB) e Derly dos Reis de Oliveira, o Cazuza (PP). Com mandato, mas que não devem retornar à Câmara Municipal estão listados os vereadores Ademar Vieira Junior, o Coringa (PSD), e José Eduardo Cury (SD).

As decisões foram publicadas no mural eletrônico do TRE-MS (Tribunal Regional Eleitoral) na noite deste domingo (6), mas não é possível acessar detalhes sobre os problemas identificados nas prestações de contas. Os erros podem ser diversos, como a falta de comprovantes de pagamentos de despesas de campanha, recebimento de doações ilegais, gastos e doações não declaradas, entre outros.

Conforme decisões anteriores, os vereadores eleitos André Salineiro e João César Mattogrosso, ambos do PSDB, também estão sendo investigados, no caso, por receber doações de pessoas que não comprovaram renda suficiente para contribuir com o valor declarado na campanha. Além deles, o PTN (Partido Trabalhista Nacional), que lançou a candidatura de Aroldo Figueiró para a prefeitura de Campo Grande, também foi notificado para retificar a prestação de contas da legenda. 

Veja também